Bezos vende US$ 1,8 bilhão em ações da Amazon, mas continua o mais rico do mundo

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

2 de agosto de 2019 às 11:15 - Atualizado há 1 ano

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

Jeff Bezos, o fundador da Amazon, vendeu quase US$ 2 bilhões em ações (US$ 1,8 bilhão, especificamente) da companhia no fim de julho. No entanto, a venda dos ativos não foi o suficiente para desbancá-lo do posto de “o homem mais rico do mundo”.

O empreendedor conquistou esse título após uma longa disputa com o Bill Gates, fundador da Microsoft. No entanto, agora Bezos possui um lugar estável, mesmo com a venda de ações quando a Amazon não está em seu ápice de valorização. A empresa já alcançou o valor de mercado de US$ 1 trilhão, mas agora gira em torno de US$ 917 bilhões.

De acordo com relatório à SEC, reguladora do mercado dos Estados Unidos, Jeff vendeu 960 mil ações sob o valor de US$ 1.900. Recentemente, ele também transferiu 19,7 milhões de ações à MacKenzie Bezos, com quem se divorciou recentemente. Ela é a segunda maior acionista individual da Amazon e cedeu o poder de voto ao ex-marido. MacKenzie foi fundamental na criação da Amazon, tendo auxiliado Bezos desde os primórdios da companhia.

Jeff Bezos não informou, no relatório, o motivo que o levou a vender as ações, diminuindo seu poder na companhia. No entanto, o empreendedor já havia anunciado que venderia US$ 1 bilhão de ações da Amazon por ano para investir na Blue Origin, sua empresa de viagens e exploração espacial.