Adam Neumann, fundador e CEO do WeWork, renuncia sob pressão de investidores

José Eduardo Costa

Por José Eduardo Costa

24 de setembro de 2019 às 19:58 - Atualizado há 12 meses

Logo ReStartSe

GRATUITO, 100% ONLINE E AO VIVO

Inscreva-se para o Maior Programa de Capacitação GRATUITO para empresários, gestores, empreendedores e profissionais que desejam reduzir os impactos da Crise em 2020

Adam Neumann transformou o WeWork em uma das startups mais valiosas do mundo, em grande parte pela força de sua personalidade. Ele convenceu os investidores a investir bilhões de dólares na empresa que criou e os seus funcionários a acreditar que a empresa de escritórios compartilhados estava mudando o mundo.

Essa mesma mistura de ambição e idealismo forçou Neumann a deixar o cargo de CEO, após uma longa reunião do conselho nesta terça-feira. Ele estava sob pressão de executivos e investidores depois de liderar uma tentativa frustrada de fazer o IPO (oferta pública inicial) da empresa.

No início do ano, a The We Company, empresa por trás do WeWork, era um case de sucesso mundial, estava avaliada em US$ 47 bilhões e preparava-se para abrir capital na bolsa de valores. O anúncio do IPO colocou a startup sob o olhar crítico da imprensa e dos investidores. Sob escrutínio, o interesse dos investidores diminuiu e o valor de mercado foi cortado para menos de metade do esperado, o que culminou no adiamento do pedido da oferta pública de ações.