8 dicas de como começar a sua empresa

Grande parte das empresas não ultrapassa o primeiro ano de vida por pecar em alguns fatores básicos

Avatar

Por Juliana Américo

6 de março de 2015 às 09:31 - Atualizado há 5 anos

SÃO PAULO – Ter o próprio negócio é o sonho de muita gente. Alguns dos fatores que motivam as pessoas a encarar essa empreitada estão as boas ideias de negócio, um nicho promissor, a chance de aumentar a renda ou mesmo um desgaste com as relações no trabalho.

No entanto, o criador dos blogs eAdministração e Primeira Venda, Leonardo Moreira, lembra que é preciso ter muito cuidado, pois mais difícil do que abrir uma empresa, é mantê-la.

“É preciso saber que Isso só será alcançado com muita dedicação e planejamento. Vale lembrar que grande parte das empresas não ultrapassa o primeiro ano de vida por pecar em alguns fatores básicos”, escreve em seu site.

Veja oito dicas para não deixar seu negócio fazer parte das estatísticas de pedidos de falência:

1- Pesquise e aprenda com o mercado
Muito mais do que coragem e vontade, é preciso ter informações antes de abrir a sua empresa. Por isso, pesquise muito e reflita sobre o ramo em que deseja ingressar. “Considere também que deve ser algo prazeroso, no qual você tenha um bom conhecimento”, lembra Moreira.
Estude casos de empresas certo e a viabilidade para começar e prosseguir neste negócio – considere o curto, o médio e o longo prazo. Para isso, converse com empresários desse setor, veja quais foram suas dificuldades no início e quais as ações tomadas para superar essas barreiras. Lembre-se também de não repetir os mesmos erros e aprenda com os acertos para replicá-los em sua estratégia.
Consulte também informações sobre a atividade que será exercida por sua empresa junto aos órgãos fiscalizadores e de governo para conhecer os tributos e as obrigações que a futura empresa deverá cumprir para estar de acordo com a legalidade.

2-Foque nos consumidores
Pode parecer óbvio, mas é sempre bom lembrar que os consumidores são importantes para o sucesso de uma empresa. “Você deve oferecer um produto, ou serviço, que atenda a uma necessidade do mercado – ou que, pelo menos, tenha um número suficiente de interessados para garantir os rendimentos, de forma que o negócio se sustente.”
Por isso, estude o mercado consumidor da área em que deseja entrar, analise se sua ideia tem chances de cair no gosto desse público. Além disso, defina como será feito o marketing para, não apenas fidelizar clientes, mas também para conquistar novos. 

3-Pesquise e defina bons fornecedores
Lembre-se também que uma empresa não trabalha sozinha. Busque informações sobre fornecedores e quaisquer outras organizações com as quais seu empreendimento precisará interagir. Reunindo essas informações você terá o suficiente para definir as melhores parcerias de negócio. 

4-Esteja muito atento à parte burocrática
Os trâmites para abrir uma empresa no Brasil ainda são considerados dos mais complicados do mundo; para evitar dores de cabeça é necessário planejar e obter o máximo de informações antes de iniciar o seu negócio. Confira alguns pontos de atenção: 

  • Contrato Social
    O contrato social é uma das primeiras etapas do processo de abertura de empresa. Nele, deverão constar informações como o nome, o endereço, a atividade, o valor ou os bens investidos no negócio, o tipo de relação entre os sócios e como será a divisão dos lucros.
  • Regime de tributação
    Outro ponto de atenção está no regime de tributação que o negócio deve ter. O empresário pode escolher entre o simples, o de lucro presumido e o de lucro real. Contudo, indica-se que para o começo das atividades seja usado o regime simples ou de lucro presumido, já que o negócio não possui histórico e, portanto, é mais difícil prever qual será a margem de lucro.
  • Considere os custos com a abertura da empresa
    Lembre-se ainda de calcular os custos relacionados à abertura da empresa, que podem variar de R$ 700 a R$ 2 mil – dependendo de uma série de fatores. Portanto, se você pretende contratar um despachante ou um consultor que cuide de toda essa parte burocrática, não se esqueça de que esse serviço também é cobrado e deve ser incluso no custo de abertura.

 

5- A sede da empresa
Na maioria dos empreendimentos é preciso ter um imóvel para sediar o trabalho da equipe. Portanto, antes decidir por um local, verifique a situação deste imóvel: 

  • Habite-se
    Confira o Habite-se, que é a autorização da prefeitura para o uso de um imóvel, além de conferir quais são as regras de ocupação de solo, que variam de acordo com a cidade. Vale ressaltar que imóveis com registro residencial não podem ser usados com finalidade comercial.
  • Alvará de funcionamento
    Além disso, é preciso ter o alvará de funcionamento. É recomendável que ele seja solicitado por um engenheiro qualificado para avaliar as condições do imóvel, as regras de zoneamento e do Habite-se.

 

6- Lembre-se das pessoas do seu time
Com o local definido para o negócio, está na hora de cuidar da equipe. Verifique quantos funcionários serão necessários, quais serão seus horários de trabalho e quanto será a remuneração dos profissionais do seu time, de acordo com a atividade que exercem na empresa. Dessa forma, busque as opções mais rentáveis, mas que não comprometam a qualidade do seu negócio. “Lembre-se que boas condições de trabalho te darão uma equipe mais motivada, que gerará mais resultados para o seu negócio”, afirma Leonardo.

7- Pró-labore: a remuneração dos sócios
O empreendedor não pode esquecer que um dos objetivos do negócio é gerar receita para si próprio. Isso deve ser mensurado nos registros da empresa, para evitar pagamentos fora da data ou a retirada de valores de maneira desordenada, o que prejudica a saúde financeira da empresa.
É fundamental que conste nos gastos mensais o salário do proprietário e dos sócios, para evitar falhas no registro do caixa ou mesmo acabar com um pagamento menor do que o suficiente para o dono do negócio.

8- Contabilidade
Uma contabilidade organizada é também uma peça fundamental para o bom funcionamento de toda a engrenagem da empresa. Por isso, procure um profissional autônomo, uma empresa ou uma consultoria séria, que lhe dará boas orientações nesse momento inicial das atividades.