Silicon Valley a Way Through – O que há por trás da mentalidade do Vale do Silício?

Em seu primeiro livro, Silicon Valley a Way Through, Felipe Lamounier, líder da StartSe no Vale do Silício, conta o que aprendeu na sua jornada pela região que é berço dos empreendedores e empresas mais inovadores do mundo

0
shares

O Vale do Silício, na costa oeste dos Estados Unidos, é conhecido por ser o maior polo de inovação do mundo. É também o berço das empresas mais disruptivas e famosas ao redor do globo, como Uber, Airbnb, Apple, Facebook e Google, por exemplo. Além disso, a região conta com a presença de duas universidades de classe mundial: a Universidade de Stanford, em Stanford, e a Universidade da Califórnia, em Berkeley (UC Berkeley).

Há cinco anos, Felipe Lamounier, sócio e líder do escritório da StartSe no Vale do Silício, desembarcou na região à convite de Angelika Blendstrup, empreendedora e Ph.D pela Universidade de Stanford. Ele foi para participar de um curso do professor Vivek Wadhwa, na universidade Carnegie Mellon, sobre tecnologias exponenciais, convergência tecnológica e inovação.

Em um determinado momento da aula, Wadhwa disse: "Uma população de mente aberta e diversificada, que compartilha informações prontamente, incentiva a experimentação, aceita falhas e dispensa a formalidade e a hierarquia, é o que faz do Vale do Silício um centro de inovação global."

"Aquilo me atingiu como uma bala", conta Lamounier já nas primeiras páginas de seu primeiro livro, Silicon Valley: A Way Through. Desde então, Lamounier vive e trabalha no Vale do Silício. Lamounier compartilhou os pontos altos de sua trajetória na abertura da Silicon Valley Conference, da StartSe, que acontece nesta sábado (30), em São Paulo.

Durante a maior parte de sua trajetória no Vale do Silício, Lamounier esteve à frente dos escritório da StartSe, liderando o time responsável pelos programas internacionais da empresa. Esta posição lhe deu acesso privilegiado aos empreendedores, empresas e melhores professores e pesquisadores que estão baseados ali.

Tudo isso lhe serviu de insumo para reunir em 71 páginas as melhores lições que capturou ao longo dos últimos anos no Vale do Silício.

Um outro jeito de ver o mundo

No começo, o livro narra o processo de desconstrução de Lamounier, pelo menos na forma como ele acreditava como são construídos projetos, produtos e empresas bem-sucedidas. Até chegar ao Vale do Silício, ele tinha passado 15 anos na Totvs.

Foi a partir da convivência, troca de experiências e o aprendizado com os empreendedores e suas empresas, situadas na região da Baia de São Francisco, que Lamounier criou uma nova visão sobre como companhias são criadas e fazem negócios hoje.

"Mesmo quem não tem afinidade com o mundo dos negócios é capaz de perceber a transformação que a tecnologia promove no dia-a-dia de todos nós, enquanto consumidores, ao possibilitar novas formas de estudar, estabelecer relacionamentos, se deslocar, hospedar, se divertir e até de se comunicar", diz Lamounier.

E quando se fala em tecnologia, o Vale do Silício é especial. Em todos os setores da economia é possível identificar uma nova empresa, nascida ali, que possui a tecnologia como espinha dorsal do seu modelo de negócios, que está não só mudando um mercado existente, mas também criando novos mercados. Para ficar em dois exemplos: Uber e Airbnb.

Esse aspecto por si só já justificaria a leitura do livro, pois ele serve como um guia para compreender como o Vale do Silício foi sendo moldado e se moldando como a região no mundo mais propensa a gerar novos unicórnios, como são conhecidas as empresas avaliadas em mais de US$ 1 bilhão de dólares.

A China vem evoluindo em sua capacidade de criar um ambiente de negócios propenso à inovação, mas ainda precisa de oxigênio e fôlego para criar novos negócios em segmentos diversos e de alcance global, na mesma proporção que o Vale do Silício cria.

Aprender fazendo

O livro de Lamounier mostra que um dos elementos chave para o Vale do Silício atuar como uma aceleradora de empresas é sua capacidade de ser um catalisador de talentos. Mais do que atrair para as escolas e universidades locais milhares de jovens todos os anos, no Vale estes jovens encontram solo fértil e recursos para aplicar o que aprendem nos bancos das escolas.

E isso – a aplicação do aprendizado – acontece no Vale do Silício de outra forma. Lá, o processo de “alongar” uma ideia é praticado à exaustão, de forma a estimular o novo. O planejamento minucioso dá lugar ao teste rápido, de forma a incentivar que o produto ou serviço final nasça – da forma mais rápida e barata possível – validado por quem vai usá-lo.

Cada um dos dez capítulos do livro começa com uma frase, um pensamento, que ajuda o leitor a se conectar com o tema central que vai ser abordado. Para além disso, cada frase também contribui para que o leitor conheça um pouco mais da filosofia de gestão e negócios dominante no Vale.

Duas das minhas frases preferidas seguem abaixo. A primeira é de Brian Chesky, co-fundador do Airbnb. “Por que a cultura é tão importante para uma empresa? Aqui está uma maneira simples de responder. Quanto mais forte a cultura, menos processo corporativo a empresa precisa. Quando a cultura é forte, você pode confiar que todos farão a coisa certa”.

E a segunda, de Sundar Pichai, o atual CEO do Google: “Uma diversidade de vozes leva a melhores discussões, decisões e resultados para todos.”

A experiência do Vale retratada por Lamounier em Silicon Valley A Way Through é um instantâneo (um “snapshot”, como se diz na língua inglesa) positivo de um dos lugares que está liderando a transformação do mundo.

Silicon Valley: A Way Through – The mindset behind the world's largest innovation and technology cluster

Autor: Felipe Lamounier

Número de páginas: 71 páginas

Onde comprar: Amazon

Atualize-se em apenas 5 minutos


Receba diariamente nossas análises e sinta-se preparado para tomar as melhores decisões no seu dia a dia gratuitamente.

Comentários