Disney e Apple poderiam estar juntas, se Jobs ainda estivesse vivo

Em sua autobiografia Bob Iger, o CEO da Disney, fala da sua proximidade com Steve Jobs, que teve inicio com a aquisição da Pixar, e dos planos que alimentou de unir as duas empresas

0
shares

Robert Iger, CEO da Disney, acredita que a empresa poderia ter se fundido com a Apple caso Steve Jobs ainda estivesse vivo. O executivo, que está a frente da Disney desde 2005, revela em sua autobiografia, cujo lançamento acontece no dia 23 de setembro nos EUA, que sempre quis unir as duas empresas e trabalhar com Jobs.

“Em cada sucesso que a empresa tem desde a morte de Steve, há sempre um momento no meio da minha alegria em que eu penso, ‘gostaria que Steve estivesse aqui para ver isso’. É impossível não ter, na minha cabeça, a conversa que eu gostaria de ter com ele na vida real. Mais do que isso, eu acredito que se Steve ainda estivesse vivo, nós teríamos unido nossas empresas, ou pelo menos discutido a possibilidade muito seriamente”, escreveu Iger em seu novo livro sobre as lições aprendidas nos 15 anos como CEO da Disney. A Vanity Fair teve acesso ao manuscrito.

A proximidade entre Iger e Jobs foi criada antes mesmo de 2006, com a aquisição da Pixar, fundada por Jobs, pela Disney. Foi o presidente da Disney quem sugeriu a aquisição – as empresas trabalhavam juntas desde os anos 90 e lançaram grandes sucessos como Toy Story, Procurando Nemo, entre outros.

Com a aquisição da Disney, a Apple se beneficiaria de todo portfólio de filmes, séries e desenhos da empresa (inclusive os da Pixar). O conteúdo poderia integrar seu novo lançamento, o streaming Apple TV+, e tiraria um grande concorrente da jogada – a Disney também irá lançar seu próprio streaming em novembro deste ano.

Além dos produtos, Iger e Jobs já haviam provado que poderiam trabalhar juntos. Com a aquisição da Pixar, Steve Jobs passou a ser o maior acionista da Disney e membro da mesa diretora, tornando-se um dos principais conselheiros da empresa.

Em contrapartida, Iger também fazia parte do conselho de diretores da Apple até o dia 10 deste mês. Não coincidentemente, o CEO da Disney deixou seu posto após a Apple anunciar mais detalhes de seu novo serviço.

A despeito dos planos que Iger alimentava, que agora estão explícitos em sua autobiografia, o rumor de que as empresas poderiam se unir existe há anos. Hoje, no entanto, essa união parece cada vez mais longe de se tornar realidade, dado que as empresas se tornaram concorrentes, no gigantesco mercado de streaming de vídeos.

Atualize-se em apenas 5 minutos


Receba diariamente nossas análises e sinta-se preparado para tomar as melhores decisões no seu dia a dia gratuitamente.

Comentários