Da vida militar à rotina de startup: conheça Vitor Torres, CEO da Contabilizei

O empreendedor viu sua vida mudar depois de fundar a startup, que já nasceu digital e hoje atende mais de 10 mil clientes

0
shares

O dia começa cedo para Vitor Torres, fundador e CEO da startup Contabilizei, fintech com sede em Curitiba, apontada como uma das mais promissoras do mundo, segundo relatório da CB Insights, divulgado em outubro de 2018. Hoje, com 36 anos, o empreendedor acorda às 4h30 diariamente para correr. A paixão pelo exercício vem desde cedo. Vitor foi tenente durante três anos, e desde os 18 começou a praticar a atividade.

Casado há 17 anos, o empreendedor se formou em administração. Depois de morar com a família na Europa, retornar ao Brasil e trabalhar em algumas consultorias, Vitor decidiu montar uma aceleradora de startups em 2011. Na época, o termo ainda era novo, principalmente no Brasil.

Em contato com outros empreendedores, mentores e empresas, Vitor sempre precisou contratar serviços de contabilidade, mas nunca estava satisfeito. “Senti a dor de contratar um contador, já que era um serviço caro e que muitas vezes não me atendia da forma como eu gostaria”, conta. Assim surgiu a Contabilizei, em 2013.

A startup funciona como um escritório de contabilidade online. A empresa paga uma mensalidade e tem acesso à serviços digitais como emissão de notas fiscais, balanços e relatórios, cálculo e emissão de guia de impostos e outros itens. “No início, usei bastante o conhecimento que tinha dos mentores e outras pessoas que conheci na aceleradora”, conta Torres.

Com o crescimento da startup, Vitor precisou encerrar o antigo negócio. E a escolha deu certo. Hoje, são mais de 10 mil clientes atendidos pela Contabilizei, com 245 funcionários nos escritórios de Curitiba e São Paulo. Recentemente, a empresa recebeu um investimento de R$75 milhões.

Rotina baseada em três pilares

Com o sucesso da startup, Vitor viu sua rotina mudar muito. Desde que fundou a Contabilizei, o empreendedor tinha dificuldades em conseguir um tempo livre com os afazeres do negócio. Foi então que resolveu reordenar a vida, distribuindo seu tempo com base em três pilares: família, negócios, e o próprio Vitor.

“Comecei a enxergar que precisava dar atenção para esses três pontos. Antes, eu quase sempre olhava para o meu negócio e para minha família, mas esquecia de mim”, diz.

Foi então que o empreendedor encontrou uma forma — um pouco inusitada — de conciliar a carreira e sua paixão por corrida. “Parei para pensar em um momento que ninguém precisasse de mim: na madrugada. Então comecei a acordar mais cedo para praticar o que eu mais gostava”, conta. Desde então, Vitor corre todos os dias, até mesmo nos finais de semana.

“Cuidando de mim, consigo cuidar da minha família e empresa. Quando eu corro de manhã, já estou preparado para ter um bom desempenho no resto do dia. É preciso fazer esses intervalos rápidos na rotina de trabalho para que possamos ser mais efetivos”, diz o empreendedor.

No trabalho

A rotina na Contabilizei começa cedo, logo depois da corrida. “No trabalho, tenho alguns rituais com a minha equipe. Fazemos uma reunião de análise toda semana, além de um encontro mensal em um hotel para discutir os resultados da empresa”, explica. Além disso, Vitor também não abre mão de fazer o planejamento trimestral da startup. Parte dessa disciplina, possivelmente, o empreendedor herdou de sua época no exército.

Como presidente de uma empresa que nasceu digital, Vitor precisa se atualizar sempre, e encontrou algumas formas de fazer isso. “Tenho o hábito de ler publicações em sites de tecnologia e em blogs de pessoas influentes. Além disso, tenho muito contato com outros empreendedores e gosto muito de ler livros”, conta. Entre os títulos preferidos estão Empresas feitas para vencer, escrito por Jim Collins; How Google works, de Jonathan Rosenberg; e The hard thing about hard things, do autor Ben Horowitz.

A última indicação, escrita por um dos mais conhecidos investidores do Vale do Silício, ajuda aqueles que querem construir um negócio a enfrentar os problemas mais difíceis. Segundo Vitor, eles são inevitáveis, basta saber contornar a situação.

“O mais importante é não desistir, mesmo quando todos disserem que é o momento. Além disso, é fundamental ter as pessoas certas do seu lado. No meu caso, tenho meus sócios, minha esposa que me apoia sempre e excelentes investidores”.

Para saber mais sobre o impacto das fintechs no mercado financeiro e seus benefícios para as pessoas, leia A Revolução das Fintechs e assista a websérie educativa Fintech Revolution.

Comentários

Mais em Empreendedores