4 formas que um líder pode estar destruindo sua própria empresa

Avatar

Por Isabella Câmara

18 de Maio de 2018 às 14:16 - Atualizado há 2 anos

Logo ReStartSe

GRATUITO, 100% ONLINE E AO VIVO

Inscreva-se para o Maior Programa de Capacitação GRATUITO para empresários, gestores, empreendedores e profissionais que desejam reduzir os impactos da Crise em 2020

Um líder pode pensar que está fazendo um ótimo trabalho ao comandar seu time. Mas, na realidade, ele pode estar cometendo erros comuns que podem comprometer os resultados da equipe e da empresa como um todo – destruindo e prejudicando a sua própria empresa. Muitas vezes, esses erros não são fáceis de se perceber e ainda podem custar vários anos para reparar o estrago. A boa notícia é que, se detectado rapidamente, esses fatores podem ser corrigidos de forma simples.

Diversos fatores podem interferir no rendimento de uma equipe, mas alguns elementos são frutos diretos do mau comportamento do líder diante sua equipe. Pensando nisso, vamos enumerar aqui os principais erros de liderança que podem ser a fonte dos problemas atuais em uma organização – e ainda sugerir maneiras de corrigi-los.

Acreditar que VOCÊ é a cultura da empresa

De acordo com um estudo realizado pela Gallup, a cultura da empresa é mais importante do que a remuneração, quando se trata de satisfação dos colaboradores. Como a cultura se desenvolve à medida que a empresa cresce e isso inclui todas as pessoas que trabalham na empresa, as decisões em torno dela precisam se basear na contribuição da maioria, ou seja, dos colaboradores.  Mas isso não quer dizer que a diretoria não deva estar ativamente envolvida na criação da cultura da empresa, apenas que ela precisa incluir seus colaboradores em decisões que abrangem a empresa como um todo.

Embora certos elementos do comportamento de um líder possam influenciar a cultura em um grau significativo, é um erro pensar que a cultura é dele. Ao invés de tentar moldar a cultura da empresa de acordo com suas ideias, o líder precisa entregar essa responsabilidade aos funcionários e estar aberto para receber feedbacks a respeito do “modus operandi” da empresa.

A fim de promover a abordagem certa para a cultura da empresa, o líder precisa se comunicar através do seu comportamento, participar de discussões em torno da cultura e, principalmente, separar os elementos que estão enfraquecendo a cultura da empresa dos que estão contribuindo para o seu crescimento. A partir dessa separação, é possível inferir nos primeiros e apoiar o último para que ele se mantenha em constante evolução.

Tomar decisões lentas

Atualmente, o mundo do trabalho é muito volátil e grandes imprevistos nos mercados de capitais acontecem regularmente. O atual ambiente econômico deu origem ao medo de tomar decisões. Esse medo pode afetar, profundamente, a tomada de decisões no nível gerencial e fazer com que líderes tomem decisões relativamente fáceis em um grande espaço de tempo. Quando isso acontece, o fluxo de trabalho atrasa e a equipe toda pode se frustrar.

Para resolver essa lentidão na toma de decisões, o líder precisa determinar a causa dela. De acordo com uma pesquisa da CEB, decisões que exigem um consenso são as que mais demoram para serem tomadas – e é uma das maiores razões pelas quais os processos são retardados dentro das organizações.

As principais decisões de compra, por exemplo, tornaram-se altamente colaborativas. Se cinco pessoas forem consultadas sobre uma decisão de compra, a probabilidade de que a compra aconteça cai para apenas 31%, diz o estudo. Formação de comitês para contratações também é um outro grande inimigo das decisões rápidas – quanto maior for o número de pessoas consultadas para tomar uma decisão de recrutamento, mais tempo a vaga permanecerá aberta.

Ou seja, descobrir o que está atrasando a tomada de decisões é fundamental para que, caso seja necessário, criar um processo mais eficaz.

Implementar reuniões executivas sigilosas

Além de melhorar a comunicação e a colaboração dentro da empresa, as reuniões regulares da equipe ajudam os funcionários a se sentirem parte da empresa. Quando há essa transparência, os funcionários geralmente confiam ainda mais na administração da empresa e ganham impulso para contribuir com ela. Um grande inimigo dessa relação são as reuniões executivas secretas – o funcionário acaba não se sentindo parte da empresa e um sentimento de desconfiança é instaurado nas relações cotidianas.

Para recuperar a confiança perdida, o líder precisa ser o mais transparente possível com sua equipe. Será difícil conseguir isso se o líder cancelar as reuniões regulares da equipe, onde deveria fornecer feedback e orientações, e substituí-las por sessões sigilosas.

Cortar benefícios dos funcionários

Quando é preciso reduzir custos, livrar-se dos benefícios dos das vantagens dos funcionários pode parecer um caminho fácil. Parece bobo, mas os gerentes tendem a se livrar de coisas simples, como refrigerantes e salgadinhos, e os efeitos negativos dessa ação acarretar desde a baixa moral dos funcionários até a saída dos mesmos.

De novo, a transparência é a melhor amiga do líder. Caso uma empresa precise cortar qualquer benefício do funcionário, é ideal avisar a equipe antes de fazê-lo e justificar o porquê da ação. Se um líder não transformar um funcionário em parte do processo, o refrigerante em falta pode ser o motivo de grandes problemas dentro da empresa.

Os erros de má gestão apresentados acima são apenas alguns dos problemas que um líder pode encontrar quando assumir um alto cargo. Mas se levá-los a sério, eles o ajudarão a se tornar um líder melhor.



(Via: Entrepreneur)