3º fundador da Apple saiu da empresa em 12 dias pois achava que ia falir

Avatar

Por Lucas Bicudo

1 de abril de 2016 às 17:24 - Atualizado há 5 anos

Logo Black Friday 2020

Nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 14 a 17/Dez, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora

A Apple comemorou 40 anos de vida na última sexta-feira e o site americano Business Insider foi atrás de uma fonte no mínimo curiosa para falar sobre a história da companhia.

Ronald Wayne, um senhor de hoje 81 anos de idade, foi o 3º co-fundador da Apple, ao lado de Steve Jobs e Steve Wozniak, com apenas 10% dos direitos de ações de mercado. E por que dificilmente ouvimos falar sobre Wayne? Bem, ele acabou largando a empreitada 12 dias após seu início, por questões financeiras. Em papo com a BBC, declarou que se tratam de “excelentes razões que ainda ecoam em sua mente até hoje”.

A história é a seguinte: Wayne, que naquela época tinha 41 anos de idade, não se sentiu seguro o suficiente para firmar o grande primeiro negócio da Apple, que necessitava de US$ 15 mil para fornecer 50 máquinas a uma pequena rede de lojas de computadores chamada Byte Shop.

O problema era que Wayne havia escutado que a Byte não era tão confiável na hora de acertar as contas. A situação poderia expô-lo financeiramente mais do que à Jobs e Wozniak.

Segundo o próprio, na negociação ele seria o responsável pela “voz da razão entre os Steves”. O homem recebeu US$ 800 quando decidiu vender seus 10%. A Apple é uma companhia cotada atualmente em US$ 600 bilhões, o que o garantiria agora uma pequena fortuna de US$ 60 bilhões pessoais.

Realmente, são razões que devem ecoar em sua consciência até hoje.