Como o app Zello dá acesso à informação e salva vidas na crise da Venezuela

João Ortega

Por João Ortega

26 de março de 2019 às 12:06 - Atualizado há 2 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

A população da Venezuela está em crise. O valor de exportação do petróleo, que representa grande parte do PIB do país, é o mais baixo em uma década, e o colapso da economia se concretiza na hiperinflação de 1.370.000% ao ano, segundo o Fundo Monetário Internacional. A taxa de mortalidade é a maior dos últimos dez anos. As informações para o mês de setembro de 2018 apontam para 3,7 milhões de pessoas passando fome.

Como se não bastasse, o povo venezuelano não tem acesso à livre informação – diversos jornais de oposição foram controlados pelo governo Maduro. Neste cenário, um grupo de ativistas se mobiliza através do aplicativo norte-americano Zello. Ele permite a criação de canais de áudio, como estações de rádio independentes, abertos ao público, anônimos e com informação criptografada.

“Nós representamos a resistência, a oposição verdadeira à tirania de Nicolas Maduro”, afirmou o fundador do canal Venezuela Hasta Los Tuétanos, criado em 2014. A rede tem mais de 70 mil ouvintes e um grupo de dez moderadores que fazem a locução e analisam mensagens dos usuários 24 horas por dia.  Em caso de alertas ou pedidos por auxílio, a informação é repassada à população. Isto se torna ainda mais importante nos dias em que a polícia promove operações violentas nas ruas, por exemplo, e o canal do Zello pede para que os ouvintes fiquem em suas casas.

Zello

“Zello permitiu manter-nos anônimos, e isso é a prioridade número um. Se você está na Venezuela e fala sobre o governo, eles literalmente virão até sua casa te prender”, explica o moderador do canal, cujo nome obviamente não foi revelado. “Nós podemos nos conectar com algum venezuelano que está na Alemanha, por exemplo, e tem alguma informação para compartilhar conosco”.

“O fato de ser gratuito também é importante. Venezuelanos tem zero dinheiro agora, nem o suficiente para gastar com comida”, continua. O moderador diz que, muitas vezes, o uso do app é essencial para salvar vidas. É o caso quando o exército vai intervir em um protesto para atacar manifestantes ou quando alguém precisa de um remédio que outra pessoa possa ter sobrando.

O Zello chegou a ter seu IP bloqueado pelo governo de Maduro. O app foi retirado das lojas de aplicativos e não é possível acessar o seu site oficial na Venezuela. A solução foi utilizar redes privadas por VPN que, além de manter o usuário anônimo, permitem acessar o software.

Venezuela Hasta Los Tuétanos

“Membros do governo estão ouvindo nosso canal”, explica o administrador. Por isso, manter-se anônimo é essencial. Nenhuma foto pessoal, nome real ou localização é transmitida no canal.

O grupo Venezuela Hasta Los Tuétanos não se restringe ao Zello. Para atingir mais gente, áudios importantes são disponibilizados no SoundCloud. Alertas de emergência são publicados no Twitter e Facebook. “Acreditamos que eventualmente o regime de Maduro vai acabar com a internet na Venezuela. Até lá, promovemos nosso conteúdo em todas as mídias”, afirma o moderador.

“Nosso plano é continuar usando o Zello depois da queda do governo Maduro. Devemos sempre estar em cima de nossos políticos para assegurar que eles estão fazendo seu trabalho, para que isso nunca mais aconteça. Estamos usando Zello para nos organizar, para aprender como sociedade que temos direito e para ter certeza de que nada como isso acontecerá novamente”, finaliza.