Tesla inicia projeto de sua primeira fábrica fora dos Estados Unidos

Avatar

Por Isabella Câmara

17 de outubro de 2018 às 14:55 - Atualizado há 2 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

Nesta quarta-feira (17), a Tesla divulgou que assinou um acordo com o governo de Xangai para a compra de um terreno de 860 mil m² para a construção de sua primeira fábrica no exterior. A informação foi revelada pela própria montadora de carros elétricos em uma rede social chinesa.

A aquisição da propriedade marca um passo fundamental para a empresa, que fabricará carros localmente para abastecer o mercado mais cresce no mundo. De acordo com a própria montadora, o capital para financiar a construção, que custará cerca de US$ 2 bilhões, será levantado nos mercados de dívida da Ásia. Além disso, a Tesla afirmou que essa nova fábrica terá capacidade de produzir 500 mil carros por ano.

O acordo assinado com as autoridades de Xangai, que era esperado pela montadora desde julho – quando o governo permitiu a abertura da fábrica em Xangai -, será o responsável por dobrar o tamanho da sua fabricação global e até mesmo por reduzir o preços dos carros da Tesla, segundo a Reuters. “Garantir esse terreno em Xangai, a primeira fábrica gigante da Tesla fora dos Estados Unidos, é um marco importante para o que será nosso próximo local de fabricação avançada e sustentável”, disse Robin Ren, vice-presidente de vendas mundiais da Tesla.

A montadora não revelou o preço pago pelo terreno, mas o Departamento de Planejamento e Recursos Territoriais de Xangai informou que um terreno de 864.885 m² foi vendido em um leilão por US$ 140,51 milhões. Com a nova fábrica a Tesla poderá explorar o mercado da cidade para os veículos de nova energia (NEVs), uma categoria que engloba carros elétricos e veículos elétricos híbridos, que registra um rápido crescimento na China. As vendas desses veículos de nova energia, subiram 54,8% em setembro e, só neste ano, já somam 721 veículos, revela a principal associação da indústria automobilística do país.

A saída de um vice-presidente

Além da compra do terreno em Xangai, o Business Insider revelou que o vice-presidente de manufatura da Tesla, Gilbert Passin, deixou a empresa. Passin trabalhava na empresa há quase nove anos e, em seu tempo na montadora, ajudou a fabricar o Model S, a executar as operações do super-carregador da companhia e até mesmo se envolveu em projetos da Tesla para a Daimler e a Toyota RAV4.

Passin não é o primeiro a deixar a empresa. No ano passado, vários funcionários seniores de todas as partes da Tesla decidiram se desligar da montadora, incluindo Gabrielle Toledano, chefe de Recursos Humanos, Sarah O’Brien, vice-presidente de comunicação, e Liam O’Connor, vice-presidente de gerenciamento de supply-chain. “O êxodo em massa de funcionários na Tesla atingiu níveis inacreditáveis”, disse um ex-engenheiro da montadora.