Tencent e Alibaba desafiam sucesso da pontuação de crédito oficial da China

João Ortega

Por João Ortega

19 de setembro de 2019 às 17:33 - Atualizado há 9 meses

Logo ReStartSe

GRATUITO, 100% ONLINE E AO VIVO

Inscreva-se para o Maior Programa de Capacitação GRATUITO para empresários, gestores, empreendedores e profissionais que desejam reduzir os impactos da Crise em 2020

Em março de 2018, o Banco Central da China lançou a Baihang, pontuação de crédito oficial do país. O objetivo do projeto é agregar dados financeiros obtidos por diversas empresas a fim de gerar uma pontuação de crédito confiável e unificada. Cerca de 700 firmas colaboraram com as informações financeiras dos clientes. No entanto, as duas maiores companhias do setor de pagamentos – Tencent e Alibaba – se recusam a compartilhar os dados de seus usuários.

Divulgada pelo Financial Times nesta quinta-feira, a notícia pode causar surpresa, já que as duas gigantes da internet são grandes aliadas do governo chinês. O WeChat, super app de rede social, mensagem, serviços e pagamentos da Tencent, por exemplo, segue todas as normas de filtragem de conteúdo (ou censura) impostas pelo Estado. Inclusive, especula-se que ambas as empresas compartilhem os dados dos usuários relacionados à segurança com as autoridades do país.

De acordo com a reportagem, dentre os oito acionistas da Baihang – grupo em que Tencent e Alibaba estão incluídos – apenas três aceitaram compartilhar dados financeiros dos usuários. Enquanto o Banco Central não os convencer a mudar o posicionamento, a nova pontuação de crédito será tão incompleta como suas antecessoras. Desde o lançamento da Baihang, Sesame Credit (da Alibaba) e Tencent Credit foram banidas.

De acordo com o Banco Central da China, 460 milhões de pessoas no país não têm histórico de crédito. Por isso, o projeto de criar um sistema unificado de pontuação é tão desafiador quanto importante para tornar os serviços financeiros do país mais eficientes.