China vai permitir streaming de vídeos como Netflix e YouTube no país

João Ortega

Por João Ortega

16 de agosto de 2019 às 15:20 - Atualizado há 10 meses

Logo ReStartSe

GRATUITO, 100% ONLINE E AO VIVO

Inscreva-se para o Maior Programa de Capacitação GRATUITO para empresários, gestores, empreendedores e profissionais que desejam reduzir os impactos da Crise em 2020

A China está pronta para abrir a empresas estrangeiras o mercado de streaming de vídeos, música e games. Segundo o jornal Beijing News, a permissão deve ser concedida até o fim do ano, desde que os serviços aceitem seguir as normas de conteúdo e dados do governo chinês.

Assine a newsletter Conexão China e receba conteúdo exclusivo semanal sobre a maior potência inovadora do Oriente!

De acordo com a publicação, a China quer dar ao capital estrangeiro maior acesso à enorme base de consumidores do país. A iniciativa pode, também, ser um sinal de aproximação, dirigido às empresas dos EUA, para amenizar a disputa comercial entre os dois países.

Resta saber se, para alcançar um mercado de mais de um bilhão de pessoas, serviços como Netflix, Spotify e YouTube vão aceitar os padrões chineses. Eles determinam, por exemplo, a submissão do conteúdo para análise de agentes do governo, antes de serem disponibilizados para o público e compartilhamento dos dados dos usuários com reguladores do governo. Entre os temas que podem ser bloqueados estão apostas, pornografia, violência e política internacional.

O jornal afirma que o governo chinês tem um plano para, nos próximos três anos, integrar serviços estrangeiros em áreas como finanças, educação e conteúdo. Os reguladores, porém, não devem abrir mão dos padrões e regras estabelecidos, que focam em um “bem coletivo” em detrimento à liberdade individual.