Startup chinesa ultrapassa Uber e se torna a mais valiosa do mundo

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

26 de outubro de 2018 às 16:57 - Atualizado há 2 anos

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 22 a 25/Fev - 2021, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora
Logo Cyber Monday 2020

Só hoje, nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

Há quase um mês, foi divulgado que a startup chinesa Bytedance poderia receber um investimento no valor de US$ 3 bilhões e ultrapassar a Uber como startup mais valiosa do mundo. A expectativa se tornou realidade nesta sexta-feira (26), quando o Softbank, KKR & Co, General Atlantic e Primavera Capital fecharam uma rodada de investimentos no valor previsto anteriormente.

Com o investimento, a Bytedance atinge o valuation de US$ 75 bilhões, ultrapassando a Uber em US$ 3 bilhões e se tornando a startup privada mais valiosa do mundo, segundo o CB Insights. O Softbank – um dos maiores fundos de investimentos do mundo – planeja investir cerca de US$ 1,8 bilhão na startup, inclusive realizando a compra de ações secundárias (ou seja, comprando ações de outros investidores), segundo a Bloomberg.

A Bytedance é uma startup de conteúdo dona de plataformas gigantes na China, como o Musical.ly, em que usuários podem performar músicas famosas, e o Toutiao, uma rede social de distribuição de notícias que utiliza inteligência artificial. Conheça essas redes com detalhes aqui.

De acordo com a Forbes, a Bytedance planeja utilizar o aporte na expansão de novos modelos de negócio, levando seus produtos para mais lugares da China e além. A startup já havia recebido um dos maiores investimentos no país em 2017, no valor de US$ 1 bilhão. A rodada atual continua aberta e outros investidores ainda podem realizar aportes na Bytedance.

A startup vem chamando a atenção de outros grandes players do ecossistema de startups além de seus investidores. Em outubro, Tim Cook, CEO da Apple, visitou a sede da startup em Beijing, na China, durante sua viagem ao país. As empresas não anunciaram nenhum tipo de parceria, mas Cook foi amistoso com os funcionários e conversou com Zhang Yiming, fundador da startup.

Foto: Divulgação/Facebook Bytedance