A revolução tecnológica do mercado fashion

Avatar

Por Nathalia Medici

7 de março de 2017 às 14:40 - Atualizado há 4 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

A semana que passou foi diferente no Vale do Silício. Todos sabem que San Francisco fomenta tecnologia e inovação. E por que não juntar todo esse know-how com o mundo da moda? Pois é, foi o que aconteceu durante a 5ª edição da TECH Fashion Week, evento anual para discutir as tendências tecnológicas aplicadas ao setor.

Como e quanto a tecnologia vai influenciar o mundo da moda? Esse foi um dos principais assuntos do evento. Por exemplo, o varejo americano gasta 2 bilhões de dólares por ano com devoluções, sendo a maioria causada por erros de tamanho. Para reduzir esse custo, a indústria já trabalha formas de escanear remotamente o corpo dos compradores e definir com maior precisão o tamanho certo de calçados e roupas.

A Realidade Aumentada foi outro tema bastante discutido. Ela já é muito usada na indústria de cosméticos e maquiagem. No aplicativo da Sephora, dá para testar batons, sílios, sombras e deliniadores no próprio rosto do usuário.

Mas nenhuma tecnologia foi tão comentada quanto a Realidade Virtual. Isso mudará completamente a nossa experiência de compra nos próximos anos. Nicole Mason, diretora de marketing digital da Macy’s, mostrou o Buy+ do Alibaba, o primeiro shopping do mundo 100% em realidade virtual. Nele, o usuário entra virtualmente numa loja da Macy’s e pode comprar à vontade. O varejo não só trabalha nessa direção, como já começa a personalizar as experiências.

Fred Davis, fundador da revista Wired e atuante no mercado de Realidade Virtual a 25 anos, comentou que para designers, uma das maiores transformações será na forma de mostrar os seus trabalhos. A experiência real será 100% virtual. Artesãos, ateliês, estilistas e todos que de alguma maneira criam ou vendem acessórios e roupas poderão demonstrar suas peças virtualmente.

Alexa e Google Home começarão a estar integrados com nossas decisões de compra de roupas, calçados e makeups. Com base no seu histórico, esses devices podrão sugerir modelos na medida em que eles tornam-se disponíveis nas lojas.

O público foi predominantemente dominado pelos italianos que moram no Vale do Silício e estão construindo a próxima geração dessa indústria. Ficou claro que a tecnologia, da mesma forma como impacta outros segmentos da economia, vai transformar esse também.