Lyft tem prejuízo de US$ 600 milhões, mas mostra otimismo para matar Uber

Da Redação

Por Da Redação

13 de janeiro de 2017 às 13:26 - Atualizado há 4 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

A Lyft é a segunda maior plataforma de ride-hailing dos Estados Unidos, atrás apenas da Uber. Por estar tão perto da rival e ter recebido investimento de gigantes como Didi Chuxing e GM, a Lyft é parte integral da “coalizão” para derrotar e matar a Uber.

A companhia acaba de registrar um prejuízo de US$ 600 milhões em 2016, em sua batalha contra a Uber. Contudo, os números da companhia mostram uma evolução brutal frente o que havia sido registrado em anos anteriores: a startup, que vale US$ 5,5 bilhões, gerou US$ 700 milhões de receita.

Em 2015, a companhia havia registrado perdas entre US$ 360 milhões e US$ 415 milhões (o número é incerto, pois a companhia não divulga oficialmente, embora alguns funcionários vazem para a imprensa) com receitas de US$ 200 milhões. E em 2014, a empresa havia tido perdas de US$ 200 milhões com receitas de US$ 30 milhões.

Ou seja, pela primeira vez as receitas foram maiores do que o prejuízo – o que é um bom indicador. A sua rival teve perdas aproximadas de US$ 2,8 bilhões em 2016, mas com receitas muito maiores e presença muito maior no mundo inteiro (basta ver o quanto a Uber é popular no Brasil).

As companhias deste segmento, que incluem as brasileiras 99 e Easy, comumente dão grandes subsídios para motoristas em novos mercados, com o intuito de se tornar grandes potências nestes. Contudo, investidores do Lyft fizeram a direção da startup prometer que não teria exageros e manteriam as perdas em “apenas” US$ 600 milhões – o que a companhia obedeceu. E ainda demonstrou ser capaz de crescer, mesmo com este tipo de limitação, o que a permite ser bastante otimista com o futuro.

Estratégias de “perder dinheiro” são muito importantes para startups que estão ganhando tração. Contudo, precisam ser feitas com parcimônia, para não quebrar a startup. Elas podem auxiliar no crescimento da startup. Explicando isso, temos o Accelerator Day, evento exclusivo em São Paulo para tratar do assunto.

Muitas vezes, essas estratégias de perda de dinheiro estão associadas com investidores. Para entender essa particularidade do investimento em startups, criamos o Invest Class – afinal, investir em uma startup ganhando escala pode ser extremamente vantajoso, mas precisa ter conhecimento do que se está fazendo.

(Via Business Insider)

E não deixe de entrar no grupo de discussão do StartSe no Facebook e de inscrever-se na nossa newsletter para receber o melhor de nosso conteúdo!

[php snippet=5]