GoPro demite 15% de seus funcionários e mostra que é hora de reestruturar

Avatar

Por Lucas Bicudo

1 de dezembro de 2016 às 09:42 - Atualizado há 4 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

A GoPro anunciou hoje que cortará 200 vagas de trabalho, aproximadamente 15% de sua força de trabalho total. A empresa diz que isso reduzirá suas despesas operacionais para cerca de US$ 650 milhões e irá ajudá-la a cumprir o objetivo declarado pelo CEO Nick Woodman de devolve-la à rentabilidade em 2017.

O presidente Tony Bates irá abandonar seu cargo ao término desse ano e afirmou em um comunicado para a imprensa que “hoje a GoPro possui uma sólida equipe de liderança focada em seu core business e sobretudo na lucratividade”.

A notícia vem no embalo da Black Friday da marca, que vendeu seus produtos com até 35% de desconto no varejo norte-americano. A fabricante está enfrentando algumas dificuldades para equilibrar as contas.

O mercado está mudando à medida que os smartphones estão se tornando cada vez mais duradouros e capazes de exercer os tipos de atividades que antes eram características apenas da GoPro – e por uma fração do preço. A companhia precisa convencer os consumidores que eles ainda precisam de uma câmera GoPro.

Por essas razões, a marca está tentando deixar de ser apenas uma empresa de câmeras para se tornar uma empresa de mídia. É hora de se reestruturar. O corte vem nessa onda.

(via TechCrunch)

Não deixe de entrar no grupo de discussão do StartSe no Facebook e de inscrever-se na nossa newsletter para receber o melhor de nosso conteúdo!

[php snippet=5]