CEO da Uber discute com motorista, é gravado em vídeo e pede desculpas

Da Redação

Por Da Redação

1 de março de 2017 às 12:34 - Atualizado há 4 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

Notícia ruim para a Uber: o CEO da companhia, Travis Kalanick, foi gravado discutindo com um motorista associado a plataforma a respeito dos preços mais baixos. E teve que pedir desculpas publicamente.

O problema é que estamos tratando como “ruim” algo que não tem nada de mais. Kalanick tentou explicar o motivo da queda dos preços (entre outros, competição) e ouviu que aquele motorista estava quebrado por conta da plataforma – com uma dívida de US$ 90 mil por conta da Uber (provavelmente por ter trocado o carro).

O motorista argumenta que os preços caíram de US$ 20 por milha para US$ 2,75. Na verdade, a queda foi de US$ 11 para US$ 3,50, o que é significativa. Kalanick diz que tinha que fazer isso ou teria sido trucidado pela concorrência, como o Lyft.

A questão é que a Uber apenas conecta motoristas com passageiros. A decisão de cada um de comprar carro apenas para trabalhar na plataforma é individual e a empresa não poderia ser responsabilizada. Mas a companhia continua recebendo este tipo de reclamação, além de pedidos de motoristas serem considerados funcionários (sim, funcionário que decide se vai ou não trabalhar, que maravilha).

Além disso, seus preços se mexem com a oferta e demanda: quanto mais motoristas associados, mais baixo ele será. Se não há ninguém disposto a dirigir naquele preço, ele sobe. É um ambiente naturalmente inseguro demais para realizar este tipo de decisão com certeza de que ela será uma boa decisão.

A nova economia se movimenta assim: pessoas são cada vez mais responsáveis por si próprias, mas continuam responsabilizando terceiros. Aprender a aceitar a responsabilidade por sua vida e por suas decisões é extremamente necessária e nenhuma empresa privada tem a obrigação de cuidar de você se esta decisão for ruim para a companhia, seja você associado a ela ou não.

Veja o vídeo e tire a sua própria conclusão:

Faça parte do maior conector do ecossistema de startups brasileiro! Não deixe de entrar no grupo de discussão do StartSe no Facebook e de inscrever-se na nossa newsletter para receber o melhor de nosso conteúdo!

[php snippet=5]