Acabei de voltar de uma experiência que mudou minha vida: o Vale do Silício

Da Redação

Por Da Redação

14 de fevereiro de 2017 às 12:12 - Atualizado há 4 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

Três anos respirando o ecossistema de startups diariamente e eu nunca tinha tido a oportunidade de ir para o Vale do Silício. Seja por algum motivo pessoal ou por não ter dinheiro, até semana passada o Vale era apenas uma localidade na minha imaginação.

Eu entendia e estudava o Vale, mas não o conhecia em si. Até semana passada, quando fui convidado pelo Google para conhecer o Google Launchpad Accelerator Bootcamp, um programa sensacional para startups de todo mundo, em que as companhias são aceleradas por duas semanas lá em São Francisco. Lá fiquei três dias, estendendo minha permanência na cidade em dois dias para conhecer um pouco do resto do ecossistema.

Chegando lá, o que eu percebi o quanto tempo eu perdi em não ir para o Vale. Para alguém que trabalha com startups e que até tem uma, ir para lá deveria ter sido prioridade na minha vida. Uma experiência única que muda as pessoas.

Eu sabia que existia, mas não tinha ideia de quanto aberto é o Vale para o compartilhamento de conhecimentos. Além das inúmeras e riquíssimas experiências no Google (que você vai conferir nos próximos dias aqui no StartSe), também conheci alguns coworkings. E literalmente, lá, é uma experiência de coworking verdadeira.

Aqui no Brasil, ao menos nos ambientes que já passei, as pessoas são fechadas a respeito de suas experiências. Lá, não. Cheguei em um dos coworkings visitados e estava tendo uma espécie de happy hour, em que as pessoas bebiam cerveja e contavam suas experiências uns para os outros. Para ajudar os colegas, inclusive os concorrentes.

Visitei a sede da Plug and Play, uma das maiores aceleradoras da região, e conversei com empresas brasileiras que, ali instaladas, usam seu escritório para avançar em conhecimento e novas tecnologias para si. E ouvi de uma delas que o “Vale vale a pena” justamente por essa troca de conhecimento constante.

Em Berkeley, uma das maiores e melhores universidades do mundo, conheci uma coisa que me surpreendeu: até o Estádio de esportes do time de futebol americano da universidade se transformou em um ambiente de coworking para que os universitários avancem suas startups e o empreendedorismo. O Vale é surpreendente até nos mínimos detalhes, mesmo para quem vai para lá preparado para o que há por vir.

Percebi que a região respira empreendedorismo. Peguei motoristas de Uber, por exemplo, que eram empreendedores e estavam usando seu período dentro do carro para ouvir podcasts e áudio-books sobre o mundo de startups e venture capital. Não acho que essa seja uma coisa muito habitual aqui no Brasil, certo?

Eu tenho o privilégio de, como jornalista, conhecer iniciativas tão bacanas como o Launchpad Accelerator do Google. No fundo, eu também sou acelerado com uma coisa dessas. Foram várias conversas com mentores e startups, como Delivery Direto, Quinto Andar, Portal Telemedicina, Meus Pedidos, Dog Hero, Mobilis e a argentina NuvemShop.

Agora, me permita parar este texto altamente pessoal para falar de uma iniciativa do StartSe. Queremos que cada vez mais pessoas tenham a oportunidade de conhecer o Vale e o mindset. Por isso, criamos a Silicon Valley Learning Experience, uma grande experiência de aprendizado lá no Vale com os melhores nomes da região.

Nos próximos dias, vou compartilhar entrevistas e matérias com vocês sobre minhas experiências no Vale. Espero conseguir tocar a vida de vocês, como esta experiência tocou a minha.

Voltei energizado, comprometido ainda mais com a missão do StartSe de transformar o Brasil através do empreendedorismo! Volto também com vontade de fazer as coisas acontecerem e, graças à essa experiência no Vale, consegui realizar a primeira grande “venda” da minha startup.

O Brasil pode ser muito mais forte se abraçar o empreendedorismo. Podemos crescer como nação e criar grandes riquezas por aqui. Mas para isso, precisamos ter o mindset correto e trabalhar muito.

Faça parte do maior conector do ecossistema de startups brasileiro! Não deixe de entrar no grupo de discussão do StartSe no Facebook e de inscrever-se na nossa newsletter para receber o melhor de nosso conteúdo!

[php snippet=5]