6 motivos pelos quais você precisa ir para o Vale do Silício

Avatar

Por Júnior Borneli

6 de outubro de 2016 às 14:38 - Atualizado há 4 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

Que o Vale do Silício tem sido o motor da inovação tecnológica mundial há décadas, não é novidade para ninguém. Mas você realmente sabe por que essa região é o berçário de tantas empresas inovadoras?

Assim como toda criança que conhece a Disney, empreendedores que vão ao Vale do Silício voltam transformados com a magia que envolve essa pequena região da Califórnia, de aproximadamente 60 km, que vai desde a cidade de San Francisco até San Jose.

Nessa região, nasceram empresas como Apple, Google, Facebook, Intel, HP, Sales Force, eBay, Evernote, Twitter, Linkedin, Netflix, Yahoo, Uber, Eletronic Arts, Microsoft e muitas outras.

Por conta dessa reunião fantástica de empresas de tecnologia, o Estado da Califórnia é a sexta maior economia do mundo, com PIB de U$ 2,5 trilhões e cresceu 4,1% em 2015. Também é o Estado que mais gera emprego nos Estados Unidos, superando Texas e Flórida juntos, por exemplo.

Só por essas informações, já vale a pena conhecer o Vale do Silício. Mas listamos 7 motivos que farão você arrumar as malas hoje mesmo e se preparar para conhecer o futuro:

Networking nível hard

Quando você caminha pelas ruas de alguma das cidades que formam o Vale do Silício e cruza com alguma pessoa, só existem 3 opções: é um empreendedor, um investidor ou um desenvolvedor de softwares.

Ou seja, não há um café que você tome sem que algum tipo de conhecimento seja absorvido. E sim, você pode cruzar com alguns dos figurões das maiores empresas do planeta na Starbucks da esquina.

A cultura do inconformismo

Tudo o que já existe por ser feito de uma forma melhor. Essa é uma das principais correntes de pensamento que impera no Vale. Todo problema pode ser resolvido de uma forma mais inteligente e todos os serviços podem evoluir para algo menos complexo.

A não aceitação das coisas como elas são é o que motivou a revolução causada pelo iPhone e a redefinição do mercado de transportes com o Uber, por exemplo. E é o que deve acontecer com a indústria automotiva, a partir da popularização dos carros autônomos que já circulam diariamente pelas ruas de San Francisco.

Produtos são construídos com os clientes

Antigamente a indústria construía um produto e depois tentava empurrá-lo aos consumidores. No Vale, essa lógica é inversa. Não se criam mais produtos para os clientes, mas cria-se produtos com os clientes.

Antes de qualquer execução, o Vale do Silício ensina que você precisa identificar um problema e a partir dele – e com a ajuda das pessoas – criar produtos que sejam a solução e tragam conforto e comodidade.

O foco está nas necessidades do cliente e não no produto em si. É o produto que deve se adequar ao consumidor e não o contrário. Os carros autônomos são um exemplo disso: por quê passar horas dirigindo se você pode aproveitar esse tempo para trabalhar ou relaxar, e completar o percurso com muito mais segurança?

Errar rápido

No Vale do Silício não é feio errar. Lá as pessoas entendem que falhar é um degrau importante na escada que leva ao sucesso. E a cada vez que você erra, você está mais forte e mais preparado. É comum ouvir dos investidores que é mais fácil apostar em quem já falhou, afinal essas pessoas mostraram poder de reação, resiliência, perseverança e, principalmente, comprometimento com o resultado.

Outra lição que o Vale dá é que errar rápido é mais barato. É melhor falhar no início da execução do projeto do que ter o produto pronto e só então perceber que ele não é bom.

Conheça o Vale do Silício com o StartSe e aprenda com os líderes das maiores empresas e melhores universidades do Silicon Valley! Veja como: https://goo.gl/cvAxci

Foco no futuro

As inovações que Google e Apple lançam hoje são projetos pensados há 5 ou 10 anos. Tudo o que se faz no Vale do Silício tem o foco no futuro, na antecipação do que será o futuro.

Empresas gigantescas, de todos os lugares do mundo, mantém bases de desenvolvimento ali. Estar no Vale do Silício é fazer uma viagem no tempo. Lojas completamente operadas por robôs, carros autônomos nas ruas e experiências incríveis de realidade virtual são apenas algumas das coisas que levarão algum tempo para chegar até aqui, mas que já são realidade absoluta por lá.

Ah, e caso você faça uma visita a Universidade de Stanford, não se assuste com os “vigias noturnos”. Grande parte do câmpus é monitorada por robôs que identificam incêndios, janelas quebradas, acesso a áreas restritas, etc.

Tudo o que você precisa

O Vale do Silício oferece tudo o que um empreendedor precisa. É um ecossistema totalmente maduro e possui a cadeia completa para o desenvolvimento de negócios inovadores. Investidores-anjo, venture capital, aceleradoras, incubadoras, startups em todo nível de desenvolvimento, grandes empresas, networking, mão de obra qualificada, enfim, é um ambiente completo para o surgimento de ideias e projetos inovadores.

Qual a melhor forma de conhecer o Vale do Silício?

O StartSe realiza missões para o Vale, com o objetivo de proporcionar uma mudança de mindset, ou seja, as pessoas que participam do programa são estimulados a pensar diferente a partir das experiências que vivem dentro das maiores empresas do mundo. Além de visitá-las, o StartSe promove palestras e conversas exclusivas com líderes dessas empresas e traz alguns dos melhores professores de Stanford e Berkeley.

Para conhecer melhor o programa, acesse nossa Missão Vale do Silício