Projeto une conteúdo, aceleradora e casa colaborativa para empoderar mulheres

Avatar

Por Isabela Borrelli

25 de Maio de 2018 às 14:24 - Atualizado há 3 anos

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 14 a 17/Dez, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora
Logo Black Friday 2020

Nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

Apesar de alguns avanços na igualdade de gênero, ainda há muito a ser feito. Segundo a Organização Internacional do Trabalho, somente 45,2% das mulheres (com mais de 15 anos) participam do mercado de trabalho no Brasil, enquanto os homens somam um total de 60,1%.

Já a taxa de desemprego, ou seja pessoas que estão procurando emprego, mas não conseguem, é maior entre as mulheres: na América Latina e Caribe, enquanto 6,8% dos desempregados são homens, 9,5% são mulheres.

A TEAR, rede de iniciativas femininas, foi lançada essa semana com o objetivo de contribuir com a transformação do cenário das mulheres no mercado de trabalho e reduzir a desigualdade econômica, política e social. À frente do projeto estão as cofundadoras Isabela Ventura, Marcella Mugnaini, Rosely Cruz e Vanessa Louzada.

A multiplataforma atuará de forma física e online em quatro pilares principais: canal de conteúdo, cursos para educação empreendedora, programa de aceleração e uma casa colaborativa. Em todas as frentes, o foco é ajudar mulheres empreendedoras tanto em crescimento profissional quanto pessoal.

De todas as iniciativas, a Casa TEAR surge como a concretização física do projeto e traz a proposta de ser um ponto de encontro onde mulheres de diferentes origens tenham apoio para desenvolver seus potenciais. Lá será disponibilizado um espaço de trabalho inclusivo para mães, além de oportunidades como networking, rodas de diálogos, grupos de estudo e programação cultural, entre outros.

Ainda não há previsão para o lançamento do espaço físico, mas o projeto já conta com conteúdos online e promete disponibilizar novidades todas as semanas.