Presidente da Huawei afirma que Android ainda é a sua primeira escolha

João Ortega

Por João Ortega

12 de julho de 2019 às 17:01 - Atualizado há 2 anos

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 22 a 25/Fev - 2021, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora
Logo Cyber Monday 2020

Só hoje, nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

A Huawei, maior fabricante de smartphones da China, não pretende abandonar o sistema operacional (OS) Android tão cedo. A Huawei foi um dos pivôs da disputa comercial entre China e EUA, o que levou o presidente norte-americano Donald Trump impor restrições a negócios com a companhia. Entretanto, o OS do Google ainda é a preferida de Liang Hua, presidente da empresa chinesa.

“O Hongmeng OS (sistema operacional próprio da Huawei) foi desenvolvido para dispositivos de Internet das Coisas (IoT) com foco em redução da latência. Em termos de smartphones, ainda usamos o sistema operacional e o ecossistema Android como primeira opção”, afirmou Liang Hua, nesta sexta-feira, em coletiva de imprensa. “Ainda não decidimos se, no futuro, o Hongmeng OS poderá evoluir para um OS de smartphones”.

Desde maio, alguns dispositivos Huawei têm acesso apenas ao projeto open-source do Android, que é aberto e gratuito a qualquer fabricante ou desenvolvedor. Isto inclui bloqueio da loja de apps Play Store.

No entanto, após reunião entre os presidentes Trump e Xi Jinping no início do mês de julho, o norte-americano admitiu diminuir as restrições contra a Huawei, “desde que não exista ameaça à segurança nacional”. Esta reaproximação explica o momento da declaração de Liang Hua, em clara reaproximação com o Google.

Este artigo é uma adaptação do Technode, portal de notícias de tecnologia especializado no mercado chinês e parceiro de conteúdo da StartSe.