Pinduoduo, concorrente chinês do Alibaba, está levantando US$ 1 bilhão

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

6 de fevereiro de 2019 às 12:59 - Atualizado há 2 anos

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 22 a 25/Fev - 2021, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora
Logo Cyber Monday 2020

Só hoje, nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

O e-commerce chinês Pinduoduo está levantando mais de US$ 1 bilhão. A empresa anunciou aos investidores que irá oferecer 37 milhões em ações para alcançar o valor. Em julho do ano passado, ela levantou US$ 1,6 bilhão em sua oferta inicial de ações realizada na Nasdaq, bolsa dos Estados Unidos.

O objetivo da Pinduoduo ao levantar mais capital é de expandir suas operações, investir em pesquisa e desenvolvimento e trabalhar com potenciais investimentos e aquisições. Um rascunho da oferta foi registrado na SEC, órgão regulador do mercado financeiro dos Estados Unidos.

Criada em 2015 por Colin Huang – ex-funcionário do Google -, a startup é uma concorrente das maiores empresas da China, como Alibaba e JD.com. No entanto, seu modelo de negócios foge de um e-commerce tradicional.

“Uma combinação de Disney e Costco”

A varejista atua de forma semelhante ao Groupon e outros sites de compras coletivas. Mas as ofertas não são fixas: os usuários compartilham os produtos que desejam comprar com amigos e, ao formar uma equipe de compras, eles conseguem descontos.

O e-commerce oferece uma gama completa de produtos que vão desde lençóis a guarda-chuvas, roupas e cosméticos. A principal forma com que os clientes compartilham os produtos é através do WeChat, aplicativo semelhante ao WhatsApp controlado pela Tencent.

Para o fundador, o Pinduoduo é uma combinação de “Costco” e “Disneyland”, conforme escreveu na carta de intenção ao IPO. Huang enxerga a startup dessa forma por aproximar compras mais baratas – como a Costco realiza nos Estados Unidos – e o parque de diversões da Disney.