Negócio da China: entenda como funciona o ecossistema de inovação chinês

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

14 de janeiro de 2021 às 20:57 - Atualizado há 2 meses

Logo Novo Curso

Transmissão exclusiva: Dia 08 de Março, às 21h

Descubra os elementos secretos que empresas de sucesso estão usando para se libertar do antigo modelo de Gestão Feudal de Negócios.

Inscreva-se agora
Logo Cyber Monday 2020

Só hoje, nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

Pequim, Xangai, Shenzhen, Hangzhou, Hong Kong… Você já deve ter ouvido falar de alguma dessas regiões! Elas compõem o ecossistema de inovação da China, que se tornou a segunda maior economia do mundo. O país também possui, de acordo com o Startup Genome, o maior número de cidades como polos de inovação globais.

De acordo com o ranking de 2020, Pequim é o 4º maior ecossistema para startups do mundo. A capital da China se destaca principalmente pelo desenvolvimento de inteligência artificial e por novas tecnologias em educação.

Xangai encontra-se em 8º lugar. O local é reconhecido mundialmente pela atuação em fintech e retailtech (o varejo). Ainda em termos de relevância, Shenzhen toma a 22ª posição no ranking mundial. A cidade é onde fica a sede da Tencent, uma das maiores empresas de tecnologia da China, e se destaca pelo desenvolvimento de hardware, drones e robótica.

Algumas posições depois, em 28º, Hangzhou é a quarta cidade chinesa a figurar o ranking de 30 posições. É lá que fica a “Dream Town”, uma incubadora de startups e empreendedores criada a partir do investimento estatal, e onde está a sede da Alibaba – uma das maiores varejistas do Brasil e do mundo.

Sabemos que a China ainda é um território pouco conhecido no ocidente, mas há muito a ser explorado. Para te ajudar nessa trajetória, trouxemos dois especialistas: Piero Franceschi e Felipe Leal explicam as características únicas de cada cidade e como podemos aprender com o exemplo chinês.

Confira o vídeo: