Huawei quer vender tecnologia de rede 5G para criar concorrência no Ocidente

João Ortega

Por João Ortega

13 de setembro de 2019 às 12:49 - Atualizado há 1 ano

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 14 a 17/Dez, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora
Logo Cyber Monday 2020

Só hoje, nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

A gigante chinesa de telecomunicações Huawei está disposta a vender toda a sua tecnologia para distribuição de rede 5G a uma empresa ocidental. Ren Zhengfei, CEO da Huawei, afirmou em entrevista ao The Economist que, por um valor único, concederia “todas as patentes, licenças, códigos, projetos técnicos e know-how de produção” ao comprador.

Assine a newsletter Conexão China e receba conteúdo exclusivo semanal sobre a maior potência inovadora do Oriente!

Caso a negociação ocorresse, a empresa compradora poderia modificar os códigos e, portanto, não estaria sob controle da Huawei ou do governo da China. Pelo contrário, ela estaria livre para desenvolver a tecnologia como bem entendesse e replicá-la em qualquer país. Segundo Ren Zhengfei, “uma distribuição equilibrada seria interessante para a sobrevivência” da Huawei.

A declaração do CEO levanta duas possíveis análises. Em primeiro lugar, dentro do contexto da disputa comercial entre EUA e China em que a Huawei é protagonista e foi acusada de espionagem pelo governo norte-americano, a entrevista surge como uma forma de a fabricante chinesa passar a impressão de que não tem interesse nos dados dos consumidores ocidentais. Dessa forma, a empresa busca melhorar sua imagem diante da opinião pública e dos reguladores dos EUA, já pensando em acabar com as restrições comerciais impostas a ela.

Em segundo, a Huawei assiste a suas vendas de smartphones no exterior diminuírem drasticamente. Em junho, Ren Zhengfei confirmou que iria deixar de enviar de 40 a 60 milhões de aparelhos para fora da China. Como a empresa já tem celulares com acesso a rede 5G, quanto mais rápido o resto do mundo adotar a tecnologia, maior vai ser o mercado potencial para estes dispositivos de última geração da Huawei.

Na mesma entrevista, inclusive, Ren afirma que o Google está fazendo lobby para que a administração Trump permita que as duas companhias voltem a negociar. Os celulares da Huawei usam o sistema operacional Android, da empresa norte-americana. Além do Google, 130 companhias pediram permissão para vender produtos à Huawei, mas nenhuma foi concedida até o momento.