Empresas na China abandonam IBM e Oracle e migram para softwares locais

João Ortega

Por João Ortega

1 de julho de 2019 às 12:30 - Atualizado há 1 ano

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

A disputa comercial entre EUA e China está transformando a dinâmica do mercado de tecnologia globalmente, e abre espaço para novos players crescerem. É o caso, por exemplo, da PingCAP, uma startup chinesa de serviços empresariais na nuvem que está atraindo grandes clientes locais que antes usavam soluções norte-americanas, principalmente da IBM e Oracle.

Esta tendência foi apontada por reportagem da Bloomberg, que entrevistou Huang Dongxu, cofundador e CTO da PingCAP. “Muitas empresas que costumavam recorrer à Oracle ou à IBM pensavam que as substituir era um plano distante. Elas nunca pensaram que isso aconteceria da noite para o dia”, afirma o executivo. “Hoje, elas olham para um plano B de forma bem mais séria”.

Entre os clientes da startup chinesa que migraram da IBM e Oracle estão grandes nomes do mercado tech local, como Xiaomi (fabricante de produtos eletrônicos), Meituan (compras coletivas), Mobike (compartilhamento de bicicletas) e iQiYI (streaming de vídeos). As empresas norte-americanas tinham, segundo a Bloomberg, respectivamente 20% e 16% de receita proveniente do mercado asiático, e não comentaram sobre o assunto nesta reportagem.

Desde 2015, a PingCAP levantou US$ 71 milhões em investimentos. A startup tem 190 funcionários e cerca de 300 clientes. Entretanto, ela não é a única empresa da China a ser impactada pela disputa comercial com os EUA.

Alibaba e Tencent, as duas principais companhias do universo digital no país asiático, investem na área e já têm serviços para empresas em seu portfólio. A Huawei, que tradicionalmente é uma fabricante de hardware, também está desenvolvendo produtos neste sentido. Segundo levantamento de 2017 da Market Research Future, o mercado de dados e gestão para empresas na nuvem deve crescer 8% ao ano e alcançar o valor de US$ 63 bilhões até 2022.