Chinesa DiDi Chuxing anuncia corte de 2 mil funcionários

A companhia tem passado por um período conturbado depois da morte de duas passageiras que usavam seu serviço de caronas

Isabella Carvalho

Por Isabella Carvalho

15 de fevereiro de 2019 às 15:04 - Atualizado há 1 ano

Didi

A DiDi Chuxing, dona da 99 e empresa global de corridas por aplicativos, planeja demitir cerca de 2 mil funcionários neste ano. Segundo o TechCrunch, o fundador da empresa, Cheng Wei, fez o anúncio durante uma reunião interna na manhã desta sexta-feira (15). Esse será o primeiro grande corte da companhia.

Por outro lado, para os próximos meses, a DiDi pretende investir na contratação de 2.500 funcionários para áreas-chave do negócio, como engenharia de produtos, operações internacionais e, principalmente, tecnologia de segurança. Recentemente, a empresa se envolveu em polêmicas depois da morte de duas passageiras que usavam sua plataforma de caronas.

Em um período conturbado, a companhia chegou até mesmo a suspender seus serviços noturnos temporariamente para adotar novas medidas de segurança e intensificar as verificações de antecedentes dos motoristas. Na época, Cheng Wei e Jean Liu, presidente da DiDi, oficializaram um pedido de desculpas pelos incidentes.

Após os acontecimentos, a 99, startup brasileira de transporte adquirida pela companhia chinesa em janeiro de 2018, também anunciou iniciativas para aumentar a segurança da plataforma. Para isso, testou o uso de câmeras em seus carros. Recentemente, em entrevista à StartSe, a startup contou como reduziu os incidentes por meio de diversos outros recursos, inclusive inteligência artificial.