Streaming de música da chinesa Tencent faz pedido por IPO nos EUA

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

3 de outubro de 2018 às 12:57 - Atualizado há 2 anos

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 14 a 17/Dez, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora
Logo Black Friday 2020

Nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

A Tencent Music Entertainment Group, o maior serviço de streaming da China, acabou de realizar o pedido para um IPO – oferta pública inicial de ações – nos Estados Unidos. A oferta de ações da startup terá o valor inicial de US$ 1 bilhão, de acordo com o pedido enviado à SEC, órgão regulador do mercado americano.

A divisão de música da Tencent é dona dos aplicativos Q Music, Kugou Music, Kuwo Music e WeSing, que vão desde serviços de streaming à aplicativos de karaokê. A empresa estima possuir 872 milhões de usuários ativos todos os meses. Diferente dos serviços de streaming de música ocidentais, que costumam ter o modelo de negócios a cobrança por assinatura ou publicidade, a Tencent Music Entertainment vende músicas e publicidades.

De acordo com o pedido do IPO, as pessoas que utilizam os serviços da Tencent Music geralmente passam mais de 70 minutos por dia nos aplicativos. Grandes nomes já estão de olho nas ações da empresa – o Warner Music Group e a Sony Music irão comprar ações no equivalente a US$ 200 milhões da subsidiária de música da Tencent.

Com o IPO, a gigante chinesa planeja utilizar 40% do capital para aumentar sua biblioteca de música, enquanto outros 30% irão ser utilizados para investir no desenvolvimento de produtos, marketing e estratégia de aquisições. O Bank of America, Deutsche Bank AG, Goldman Sachs Group Inc, JPMorgan Chease & Co e Morgan Stanley estão organizando a oferta pública inicial de ações.

Este ano está sendo um grande ano para as startups chinesas – grandes nomes como a Xiaomi e Meituan já realizam um IPO e a expectativa é que a Niu Technologies realize um em breve. De acordo com a Bloomberg, US$ 7,4 bilhões foram levantados nas bolsas de valores de Nova York com ofertas chinesas, quase o dobro do levantado no ano passado, de US$ 3,9 bilhões. Hoje, o país já concentra mais de 90 startups unicórnios – ou seja, de valor de US$ 1 bilhão.