Ping An quer expandir seus serviços de fintech e healthtech para fora da China

A Ping An Insurance, segunda maior seguradora de vida da China, planeja expandir para mercados internacionais e exportar suas tecnologias financeiras e de saúde para países asiáticos no próximo ano

Avatar

Por Lucas Bicudo

27 de agosto de 2018 às 17:05 - Atualizado há 2 anos

A Ping An Insurance, segunda maior seguradora de vida da China, planeja expandir para mercados internacionais e exportar suas tecnologias financeiras e de saúde para países asiáticos no próximo ano, segundo a vice-presidente-executiva Jessica Tan Sin-yin.

“Vamos nos expandir para os mercados estrangeiros este ano. A Ping An investiu e desenvolveu muitos projetos de tecnologia financeira e saúde nos últimos anos. Esses negócios agora estão maduros o suficiente para que possamos exportar para mercados estrangeiros”, anunciou.

A empresa informou na semana passada que a tecnologia se tornou, pela primeira vez, um importante contribuinte de lucros, representando 7% de seu lucro operacional no primeiro semestre deste ano.

Como parte do esforço, Tan disse que a Ping An expandirá a OneConnect, seu braço financeiro, para atender bancos centrais e outras instituições financeiras em países asiáticos. A Autoridade Monetária de Hong Kong (HKMA) tornou-se um dos seus primeiros clientes no exterior.

A HKMA e sete grandes investidores de Hong Kong, incluindo HSBC e Standard Chartered, estão lançando plataformas de blockchain operadas pela OneConnect, que fornece a tecnologia para configurar plataformas de internet para bancos e outras empresas financeiras. No continente, já atende a 441 bancos, 89% do total.

Tan disse que além da HKMA, a empresa está conversando com outros bancos centrais e bancos comerciais em países do sudeste asiático. “Nós precisaríamos trabalhar com reguladores e bancos, já que os mercados internacionais têm regulamentações diferentes do continente. Precisamos ter certeza de que nossa plataforma de tecnologia financeira atenda a todos os regulamentos locais”.

A startup também expandirá o Ping An Good Doctor – oficialmente conhecido como Ping An Healthcare and Technology -, que formará um empreendimento com a Grab. A parceria dará aos usuários da região acesso a consultas médicas com Inteligência Artificial, entrega de remédios e reservas de compromissos.

Tan disse que a Ping An Health Technology utiliza IA para ajudar os hospitais a gerenciar os dados e reservas dos pacientes e, portanto, melhorar sua eficiência operacional. Ela disse que a Ping An gostaria de exportar esse tipo de serviço para hospitais em países do sudeste asiático.

A empresa também está envolvida em “Smart Cities”, ajudando os governos de 200 cidades do continente a melhorar seu controle de tráfego, educação e outras questões administrativas. “Gostaríamos de exportar a tecnologia de cidades inteligentes para outras cidades asiáticas nos próximos anos”, finaliza.

StartSe de olho na China!

A StartSe traz para São Paulo o China Day Conference, evento completamente focado em discutir pontos como esses com maior profundidade! Se você quer saber ainda mais sobre a China, não deixe de conferir nossa semana de imersão por lá, liderada por Ricardo Geromel.

(via South China Morning Post)