China instala centenas de postes de luz inteligentes que transmitem rede 5G

João Ortega

Por João Ortega

12 de setembro de 2019 às 06:28 - Atualizado há 1 ano

Logo Black Friday 2020

Nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 14 a 17/Dez, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora

Uma das grandes tendências em inovação no mundo é o conceito de cidades inteligentes (smart cities), em que os próprios componentes do contexto urbano monitoram e analisam dados para promover uma melhor qualidade de vida. Isto só é possível com avanços nas áreas de Internet das Coisas (IoT) e redes de alta velocidade. O governo da China tem planos de tornar suas principais cidades mais inteligentes e, neste sentido, está instalando postes de luz de alta tecnologia nestes locais.

Assine a newsletter Conexão China e receba conteúdo exclusivo semanal sobre a maior potência inovadora do Oriente!

Segundo reportagem do portal KrAsia, a substituição de postes de luz tradicionais por estruturas inteligentes multifuncionais já está ocorrendo em Tianjin, Pequim e Hong Kong. Os dispositivos têm câmeras e sensores. Entre as funções dos postes hi-tech, estão monitorar a qualidade do ar, verificar infrações de trânsito e transmitir rede 5G.

As informações em relação a poluição e violação das leis de trânsito são enviadas para autoridades responsáveis. Em algumas cidades China, não é incomum que o governo determine paralisação de certas indústrias em caso de poluição no ar acima de níveis seguros.

Apesar da maior velocidade na conexão, a rede 5G requer mais pontos de transmissão do que o 4G. Por conta desta estrutura descentralizada, transformar postes de luz em antenas surge como uma solução para ampliar a distribuição.

Em Hong Kong, os postes inteligentes foram alvos dos manifestantes. Foram danificados 20 aparelhos com a justificativa de que seriam mais uma forma de vigilância do Governo Central sobre a população da região especial da China.