Cada vez mais startups nascem para combater o estresse: conhecido como novo câncer

Victor Hugo Bin

Por Victor Hugo Bin

26 de março de 2019 às 13:50 - Atualizado há 2 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

Estou atrasado. Tomo café depois. Perdi o primeiro ônibus. Mensagem do chefe: reunião em 20 mins. Ônibus cheio. Trânsito. Empurra-empurra. Metrô (também lotado). Pausa entre as estações. Cheguei! (Atrasado para reunião). Reunião de Metas. Abro e-mails (204 não lidos). Nossa 11h45, preciso almoçar… (esqueci completamente do café).

Soa familiar?

Para milhões de pessoas, esse é o dia a dia enfrentado de segunda a sexta. E a prova estão nos números.

Tirando o Japão, o Brasil é o segundo país mais estressado do mundo.

Os motivos são bem conhecidos: trabalhos infelizes e jornadas estressantes.

“Sem dúvida nenhuma, no Brasil, o principal fator desencadeador de estresse é o estresse ocupacional. O estresse profissional, que afeta 69% da população brasileira.

“As pessoas estão cada vez mais desmotivadas e insatisfeitas com seu trabalho. Em primeiro lugar, a longa jornada de trabalho está afetando diretamente o estilo e a qualidade de vida das pessoas.

“As pessoas têm menos tempo. O dia continua tendo 24 horas, mas a média está sendo de 12 horas de trabalho por dia”, avalia a psicóloga do International Stress Management Association (ISMA-BR), Ana Maria Rossi.

Anos de estresse: os impactos na Saúde

Hospitais e Departamentos de Pesquisa já descobriram que o estresse está ligado ao surgimento de câncer no organismo.

O diretor-médico do Instituto Brasileiro de Controle de Câncer (IBCC), Marcelo A. Calil, afirma que são três fatores principais que impactam o desenvolvimento do câncer no organismo:

    1. Escolhas Alimentares;
    2. Exercícios Físicos; e
    3. Como Lidamos com o Estresse no dia-a-dia.

 

 

Um paper médico (Estresse psicológico crônico e seu impacto no desenvolvimento de neoplasia mamária agressiva) com profissionais da Universidade Estadual Oeste do Paraná, Hospital Geral de Francisco Beltrão e da Pontifícia Universidade Católica do Paraná divulgou um estudo realizado com mulheres diagnosticadas com câncer de mama mostrou que 79% delas relataram um histórico de estresse psicológico crônico.

E do total: 73% associaram o desenvolvimento do câncer diretamente ao fator estresse como causa ou potencializador das causas que geraram o problema.

E um outro estudo feito com camundongos, pela Universidade de Stanford, nos Estados Unidos e publicado no periódico PLoS One, expôs os animais a altas cargas de raios ultravioleta.

E dentre os ratinhos, aqueles que apresentaram maiores sinais de ansiedade e estresse desenvolveram o tipo mais invasivo da doença.

Os autores da pesquisa afirmaram que o estresse ruim “rompe a capacidade do organismo” de lutar contra doenças e enfraquece o corpo de forma geral.

Já o doutor Rafael Kaliks, oncologista e diretor científico do Instituto Oncoguia complementa que “é muito provável que o estresse de fato tenha relação com alguns tipos de câncer [em humanos], mas nosso conhecimento sobre como se dá esta relação ainda é incipiente”.

Então, como se precaver contra isso isso?

Como a medicina ainda estuda as relações diretas entre estresse e câncer. O melhor que temos a fazer é a chamada Medicina Preventiva.

Porque o estresse afeta diretamente o sistema imunológico e torna o organismo propenso a todo tipo de adoecimento.

Propensão genética também tem ligação com câncer, mas segundo o Marcelo do IBCC, as pesquisas mostram que em apenas 10% dos casos isso é a causa principal da doença.

Se estamos mais estressados do que nunca de um lado…

Do outro, nunca estivemos tão preocupados com nossa saúde e bem-estar:

Academias, medicina natural, hábitos saudáveis, aplicativos que monitoram nossa saúde. Cada vez mais esses pequenos hábitos se tornam parte do cotidiano de milhões de pessoas no mundo todo.

A tecnologia está se tornando cada vez mais um papel decisivo para termos uma vida mais saudável mental e fisicamente.

E isso praticamente não existia há 10 anos atrás, por exemplo:

 

  • Wearables como Apple Watch monitoram em tempo real sua saúde e sabe se algo está errado no seu organismo. Inclusive recomenda pausas para respiração ao longo do dia.
  • Startups como Fooducate ajudam a conhecer o conteúdo nutricional dos alimentos através de um app que usa a câmera do smartphone como leitor de código de barras. A ferramenta ainda oferece sugestões de produtos mais saudáveis.
  • Startup Vittude hoje promete soluções para empresas “desestressarem” seus funcionários. Conectando funcionários com psicólogos em um ambiente online e seguro.
  • E tratando diretamente o câncer, a startup israelense Zebra Medical Vision criou um algoritmo que detecta sinais precoces de câncer de mama antes que a medicina tradicional a detecte através de radiologia. O nível de acerto chegou a 50% a mais que os médicos humanos ao analisar os exames.

 

Esses são exemplos de como a tecnologia pode ajudar qualquer pessoa no tratamento do câncer e a minimizar o estresse e ansiedade para diminuir as chances de tumores surgirem por causa do estresse do dia a dia ou até mesmo de maus hábitos alimentares.

A Medicina Preventiva está nos Hospitais ou nos Aplicativos?

A Medicina Preventiva está cada vez mais em alta por um motivo muito simples: ninguém gosta de ir ao médico, tomar remédios ou ficar doente.

Por outro lado, as pessoas têm dificuldade em mudar hábitos que possam ser nocivos. Ou saber com exatidão se você está com a saúde em dia ou não.

Ir ao médico demora, é caro…

E passar um ou mais dias afastado por problemas de saúde pode causar dois problemas:

(i) o funcionário ser “mal-visto” pela empresa como “a pessoa dos atestados”; ou

(ii) ter que trabalhar dobrado para compensar a ausência (aumentando – novamente – o estresse no dia a dia).

Talvez isso explique porque a maioria dos brasileiros prefere a automedicação do que ir ao médico.

Enquanto cada vez menos pessoas quer ir ao médico. Mais elas estão adotando startups, apps e dispositivos fitness para serem saudáveis e terem menos doenças.

Parece exagero: mas empresas como Amazon, Apple e Google estão cada vez mais criando as chamadas healthtechs e unindo tecnologia e medicina e disponibilizando essas soluções à milhões de pessoas.

Muitas dessas novidades estarão presentes no dia 25/04 em São Paulo.

A StartSe irá realizar o HealthTech Conference 2019, onde traremos as principais tecnologias e players que estão ditando o futuro da medicina e criando a chamada Era da Prevenção.

Confira aqui toda a programação e as principais novidades que vamos trazer para o evento em 2019.