Ecossistema de startups está acelerando na Serra Gaúcha, saiba por que

Avatar

Por Isabela Borrelli

14 de agosto de 2018 às 15:34 - Atualizado há 3 anos

Logo Summit 2021 O evento que irá definir o ponto de partida para você construir sua estratégia vencedora para 2021

100% online e gratuito

De 23 a 25 de Fevereiro, das 17hs às 20hs

Inscreva-se agora
Logo Cyber Monday 2020

Só hoje, nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

O ecossistema de startups ficou agitado semana passada, quando ao longo de três dias a cidade de Gramado foi palco da segunda edição do Gramado Summit, reunindo mais de 4 mil pessoas, 80 palestrantes e 130 startups.

O evento contou com a presença do Grupo Randon, referência mundial em veículos comerciais que teve seu início em Caxias do Sul, em 1949, da Universidade Caxias do Sul, que fomenta várias iniciativas voltadas para empreendedorismo e inovação, de grandes players e diversas startups da região e do Brasil inteiro.

Mas como está de fato o ecossistema na Serra Gaúcha?

“Nos últimos 5 anos (o ecossistema na Serra) começou a aparecer mais e a gente entrou em um processo no qual as coisas estão acelerando”, afirma Elóide Pavoni, professora e coordenadora do programa de empreendedorismo da instituição, a StartUCS, que incentiva a criação de novos negócios focados em inovação e tecnologia.

A principal dificuldade desse ecossistema, no entanto, é uma questão de falta de abertura. Segundo Pavoni, os players desse ecossistema ainda têm muita dificuldade em criar um alinhamento entre si e de trabalharem em conjunto. Em outras palavras, a competitividade ainda prevalece sobre a união e colaboração. Apesar disso, além da StartUCS, o cenário está mudando aos poucos com iniciativas que vem tanto do setor público quanto do privado.

“Está aumentando o interesse do poder público, mas na minha visão existe um mal entendimento que o governo deve ajudar somente com apoio financeiro. Acredito que o governo poderia ajudar mais com legislação”, defende a professora e coordenadora.

Já no setor privado, Elóide considera que o Grupo Randon é um grande exemplo e pode influenciar fortemente outros players: “O exemplo da Randon de estar aqui (no Gramado Summit), trazer 200 pessoas da empresa para a feira para que eles entendam o que é esse ambiente realmente é muito bom, porque a Randon é muito reconhecida no mercado e quando os outros vêem que ela acredita nisso, eles também passam a acreditar”.