Aceleradora de projetos da periferia de São Paulo tem inscrições abertas

João Ortega

Por João Ortega

7 de fevereiro de 2019 às 18:00 - Atualizado há 2 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

Empreender não é – ou não deveria ser – um privilégio das classes sociais mais altas. A Aceleradora de Negócios de Impacto da Periferia (ANIP) está com inscrições abertas para seu terceiro programa de aceleração. Projetos oriundos de comunidades periféricas de São Paulo podem se inscrever até o dia 24 de fevereiro pelo site da ANIP.

Dez projetos serão selecionados para receber até R$ 20 mil em investimento inicial, além de formação para os empreendedores e mentoria. A aceleradora é uma iniciativa da produtora A Banca em parceria com a Artemisia e o Centro de Empreendedorismo e Novos Negócios da FGV.

Entre os critérios de seleção estão o impacto social para pessoas de baixa renda, impacto ambiental e potencial de crescimento. O processo seletivo será feito em três etapas: triagem (a partir do dia 24 de fevereiro), workshop (21 de março) e entrevistas presenciais (entre 25 e 30 de março).

“Com investimentos e oportunidades certas, acreditamos que esses negócios podem contribuir para a transformação de uma realidade brasileira que ainda é muito desigual, impactando assim positivamente a sociedade como um todo”, comunica Marcio Teixeira, diretor financeiro da A Banca, no site da ANIP.

Projetos da periferia

As duas primeiras edições do programa de aceleração da ANIP alavancaram projetos bem diversos da periferia da zona sul de São Paulo. Na primeira turma, destacam-se empreendimentos como o Selo Povo, editora focada em lançar livros de autores “da quebrada”, o Jovens Hackers, iniciativa que oferece aulas de programação, cultura maker e robótica para jovens da periferia, entre outros.

Na turma 2, participaram a Bora Lá, agência de comunicação e marketing para pequenos empreendimentos oriundos da periferia, e a Gastronomia Periférica, iniciativa que conscientiza e cria ferramentas para evitar desperdício de alimentos e conectar pessoas através da gastronomia. Veja outros projetos acelerados aqui.