Apple irá transferir fábrica de Mac Pro para a China

O computador de US$ 6.000 era o único grande dispositivo da empresa montado nos EUA

0
shares

A Apple irá fabricar seu novo computador Mac Pro na China, segundo informação do The Wall Street Journal. A decisão da gigante de tecnologia se dá em meio às tensões entre o governo Trump e Pequim.

A gigante da tecnologia contratou a taiwanesa Quanta Computer para fabricar o seu computador de US$ 6.000. A Quanta já está aumentando a sua capacidade de produção em uma fábrica perto de Xangai, segundo fontes ouvidas pelo WSJ.

As instalações da Quanta estão próximas a outros fornecedores da Apple em toda a Ásia, possibilitando que a empresa liderada por Tim Cook obtenha custos de envio menores do que se enviassem componentes para os EUA.

Embora o Mac Pro não seja um dos maiores produtos da Apple, a decisão de transferir a fábrica para a China é emblemática. A dependência da Apple das fábricas chinesas para manufaturar os seus produtos tem sido um problema para a empresa. Sobretudo desde que Donald Trump assumiu a presidência. O presidente americano tem pressionado a Apple e outras empresas a produzir mais nos EUA, em vez de terceirizar a produção para o exterior.

Quando era presidente-executivo da Apple, Tim Cook estava entre os executivos que fecidiu pela fabricação do Mac Pro nos EUA. A Apple então investiu US$ 100 milhões em ferramentas e outros equipamentos para uma fábrica em Austin, no Texas. Cada computador que sai desta unidade é marcado com “Made in EUA”.

Um porta-voz da Apple disse ao WSJ que o novo Mac Pro inclui componentes fabricados nos EUA. A Apple informou que apoia a manufatura em 30 estados dos EUA e gastou US$ 60 bilhões, no ano passado, com mais de 9.000 fornecedores nos EUA.

“A montagem final é apenas uma parte do processo de fabricação”, disse o porta-voz, acrescentando que os investimentos da empresa geram dois milhões de empregos nos EUA. O Mac Pro é o computador mais poderoso da Apple, usado principalmente por um pequeno grupo de profissionais que trabalham em setores como filmes e videogames.

Pressão de Trump

Desde a campanha presidencial de 2016, Trump pressiona a Apple a fazer iPhones, Macs ou iPads nos EUA. O presidente americano disse, em 2017, ao WSJ que CEO da Apple prometeu construir “três grandes fábricas” nos EUA. Na época, a Apple se recusou a comentar a afirmação.

No ano passado, quando Trump impôs tarifas sobre as importações da China, o presidente americano afirmou que a única maneira de garantir que os preços dos produtos da Apple não aumentem seria produzi-los nos EUA. Pelo visto, a Apple faz avaliação contrária à do presidente americano.

Nos últimos dois anos, a Apple anunciou um segundo campus em Austin para lidar com o suporte ao cliente e operações, e anunciou mais de US$ 500 milhões em novos contratos com fornecedores de componentes dos EUA, que fabricam em casa. Até agora, no entanto, a Apple não divulgou nenhum plano para construir novas fábricas nos EUA.

Trump e o presidente chinês, Xi Jinping, que pretendem reavivar as negociações comerciais, devem se encontrar para o almoço de sábado na reunião do Grupo dos 20 em Osaka, no Japão.

Atualize-se em apenas 5 minutos


Receba diariamente nossas análises e sinta-se preparado para tomar as melhores decisões no seu dia a dia gratuitamente.

Comentários