79% dos usuários de patinetes preferem que capacete seja opcional, segundo pesquisa

Pesquisa encomendada pela Grow (fusão da Grin e Yellow) é uma resposta a recente regulamentação de patinetes elétricos na cidade de São Paulo

0
shares

Uma pesquisa do Instituto Perfil Urbano, encomendada pela Grow (fusão entre Grin e Yellow), concluiu que 79% dos usuários de patinetes preferem que o capacete seja opcional. A pesquisa foi realizada com 400 respondentes, a maioria homem de 18 a 24 anos.

A pesquisa é uma resposta a recente regulamentação dos patinetes realizada pela prefeitura de São Paulo. O decreto do prefeito Bruno Covas prevê que os usuários de patinetes elétricos sejam obrigados a usar capacetes e proibidos de trafegar em calçadas. Eles também não podem andar em vias em que a velocidade máxima seja de 40 km/h ou superior.

Caso os usuários desrespeitem as novas regras, as empresas poderão ser multadas entre R$ 100 e R$ 20 mil. A multa poderá ser repassada para os usuários. Nesse caso, a maioria dos respondentes defenderam que a empresa de patinetes deve advertir o usuário que for multado e bloquear temporariamente sua conta em caso de repetição.

A pesquisa tem início questionando os usuários sobre a obrigatoriedade do uso de capacetes ao andar de bicicleta. A maioria está ciente que o uso não é obrigatório. No caso dos patinetes, eles defendem que o uso deve ser uma opção do usuário e que a prefeitura não penalize quem não os utiliza.

Os usuários de patinetes também concordaram com a diminuição de pistas de carros ou estacionamentos em prol de melhores ciclovias e calçadas. Já na legislação atual, eles concordam que seja permitido tráfego apenas em ruas com limite de velocidade de 40 km/h.

A Grow também realizou um “pré-teste” de ações futuras a serem realizadas. Os usuários foram a favor de cursos gratuitos de pilotagem de patinetes e a distribuição “de um certo número” de capacetes gratuitos.

O número de acidentes devido ao uso de patinetes nas cidades é algo que tem causado preocupação no Brasil e no mundo. Desde 2017, hospitais dos Estados Unidos registraram mais de 1.500 acidentes envolvendo o novo meio de transporte. Na Califórnia, especificamente, aconteceram 200 casos em um ano. Alguns dos acidentes foram fatais.

A Bird e a Lime, principais empresas de patinetes elétricos nos Estados Unidos, realizaram iniciativas de distribuição de capacetes gratuitos. A legislação no país americano varia de acordo com o estado, mas algumas cidades como Miami e São Francisco já limitaram o número de patinetes elétricos nas ruas.

Atualize-se em apenas 5 minutos


Receba diariamente nossas análises e sinta-se preparado para tomar as melhores decisões no seu dia a dia gratuitamente.

Comentários