Tesla reduz até 26% o preço de seus carros elétricos para competir na China

Iniciativa foi criada para driblar as grandes taxas em produtos importados dos Estados Unidos devido a guerra fiscal travada com a China

0
shares

A Tesla anunciou que irá reduzir os preços de seus veículos Model X e Model S na China, como uma estratégia para driblar a guerra fiscal entre o país oriental e os Estados Unidos. Os valores terão a redução de 12-26% para se tornarem mais acessíveis para os consumidores chineses.

A iniciativa se faz necessária desde quando produtos importados dos Estados Unidos, inclusive automóveis, estão tendo mais impostos no país, impactando na competitividade da empresa no setor. Para a Tesla, é interessante realizar o corte nos preços porque a China, além de ser o maior mercado do mundo, é também líder em vendas de carros elétricos.

“Nós estamos absorvendo uma parte significante das tarifas para ajudar a tornar nossos carros mais acessíveis para consumidores na China”, disse a Tesla em um comunicado enviado à Reuters. Essa é uma mudança recente, já que em julho deste ano a Tesla foi uma das primeiras montadoras a aumentar os preços para cobrir as novas taxas. Segundo a Reuters, o aumento de preço na época nos modelos X e S – os mesmos que ela está diminuindo o preço agora – foi de 20%.

Mas, mesmo se a guerra fiscal entre os Estados Unidos e China continuar, em breve a Tesla não deverá mais subsidiar as taxas. A montadora está criando sua primeira fábrica fora dos Estados Unidos, em Shanghai, na China. A nova unidade deve custar US$ 2 bilhões e terá capacidade de produzir 500 mil carros por ano.

Já nos Estados Unidos, o incentivo é dado pelo próprio governo. No caso, existe uma lei federal em que compradores de veículos totalmente elétricos recebem o subsídio – ou seja, um desconto – de US$ 7.500. No entanto, a Tesla já atingiu o marco de 200 mil carros vendidos – o limite para os consumidores receberem o desconto completo -, então, a partir do ano que vem, o crédito tributário será reduzido em 50% a cada seis meses, até que não exista mais. É também por esse motivo que a companhia comandada por Elon Musk comprou empresas de caminhões para facilitar as entregas dos veículos até o final deste ano, quando o subsídio ainda possui o valor completo.

Atualize-se em apenas 5 minutos


Receba diariamente nossas análises e sinta-se preparado para tomar as melhores decisões no seu dia a dia gratuitamente.

Comentários