Roche anuncia startup vencedora do desafio 2019

Criada em 2016, a PreviNEO usa algoritmos para prevenir, diagnosticar precocemente e reduzir os riscos de incidência dos principais tipos de câncer que ocorrem no Brasil

Avatar

Por Conteúdo Patrocinado

28 de outubro de 2019 às 10:52 - Atualizado há 4 meses

Roche

Mastologista há 12 anos, Hélio de Oliveira se divide entre a rotina no hospital e os afazeres de seu próprio negócio. O médico criou em 2016, junto com o sócio Rodrigo Camargo, a PreviNEO, startup que usa tecnologia para prevenir, diagnosticar precocemente e reduzir os riscos de incidência dos principais tipos de câncer que ocorrem no Brasil: próstata, mama, pulmão, cólon e útero.

“Usamos algoritmos de inteligência artificial para estratificar o risco daquele paciente baseado em uma entrevista médica online. São perguntas que aparecem ou desaparecem de acordo com as respostas anteriores. No final, conseguimos identificar se aquele usuário tem riscos normais ou elevados de desenvolver a doença”, explica Oliveira.

O sistema leva em consideração orientações de conduta das principais entidades médicas e informações de artigos científicos sobre os cinco tipos de câncer. “Como os artigos são publicados diariamente, a solução é constantemente atualizada”, ressalta Hélio. Depois de avaliar os riscos do usuário, o sistema cria uma estratégia de redução de riscos com exames complementares ou consultas indicadas.

Medicina personalizada

A orientação é personalizada para cada pessoa e feita na hora. O objetivo, segundo Hélio, é prevenir o surgimento de tumores, aumentar a chance de cura com diagnósticos precoces, diminuir a mortalidade e reduzir custos associados a essas doenças.

Pensando em desenvolver ainda mais a solução, o empreendedor inscreveu a PreviNEO no Desafio Roche — programa de inovação da farmacêutica que teve como foco, em 2019, tornar a medicina de precisão realidade. A startup foi a vencedora e participará, durante uma semana, de um programa de imersão na Digital Health Accelerator da Roche Diagnóstica, em Munique, na Alemanha, com acesso a um co-working, interações com executivos da companhia, startups e investidores locais.

Segundo Hélio, os próximos passos da startup incluem equipar o sistema com machine learning – um tipo mais avançado de IA – e levar a solução para consumidores finais. “Em parceria com a Roche, líder global em biotecnologia, esperamos aprimorar nossa tecnologia com o expertise de especialistas do setor”.