Romeu Busarello

Por Romeu Busarello

20 de julho de 2020 às 17:46 - Atualizado há 2 meses

Logo ReStartSe

GRATUITO, 100% ONLINE E AO VIVO

Inscreva-se para o Maior Programa de Capacitação GRATUITO para empresários, gestores, empreendedores e profissionais que desejam reduzir os impactos da Crise em 2020

A escola não é mais o único lugar no qual você aprende e a empresa não é mais o único lugar no qual você trabalha. As escolas viraram empresas e as empresas viraram escolas. Aprendizagem não tem mais dia útil: de segunda a sexta feira das 8:00 às 12:00 e ou 02 vezes por semana terças e quinta feiras das 19:30 às 22:30. A escola sempre foi o único lugar que aprendíamos e nela formávamos a nossa base de conhecimento, hoje estou convicto que às escolas se tornaram uma grande “social club” para quem entender a importância de usar este período de estudos para fazer muita “hora bar” e potencializar os conhecimentos embarcados nas conversas inesperadas de corredores e nos momentos de pausas nas aulas. A fertilização cruzada de alunos em sala de aula com diferentes formações educacionais oriundos de empresas nacionais multinacionais e de segmentos diversos da economia implica na criação de riquíssimas conversas que se perpetuarão ao longo das carreiras.

Deixe-me explicar o conceito de “hora bar”. Como executivo de uma empresa que tem a inovação nas suas crenças e credos reconheço que 80%  dos meus problemas são inéditos, nunca enfrentei na minha vida, problemas que não tem solução em sala de aula e nos livros de gestão que leio obstinadamente para me manter um profissional conectado com esta frenética agenda do século XXI. Como busco soluções para estes problemas inéditos? Na minha rica rede de relacionamentos que venho construindo ao longo da minha longeva carreira de executivo através da minha filosofia de  “hora Bar” que se traduz em muitos cafés, almoços, eventos, seminários, aulas, palestras, conversas informais, reuniões, encontros, grupos de alto impacto em aplicativos como Whatsapp, telegram, atenção e zelo máximo com as minhas conexões nas redes sociais e muita ajuda e altruísmo com colegas de profissão que também convivem com as mesmas angústias e inquietudes.

Se eu não sei resolver um problema eu conecto alguém da minha rede que conhece alguém, que conhece alguém, para me ajudar na resolução.  No mundo dos negócios é o que você sabe versus quem você conhece, ora você é centro e hora você é ponta, ora você ajuda e ora você está sendo ajudado. Se você não possuir este espírito altruísta dificilmente avançará na carreira e nos negócios.

O ex-presidente mundial da P&G  A.G Lafley  no seu brilhante  livro Jogar para Vencer dizia o seguinte: Quanto mais conexões mais ideias quanto mais ideias mais soluções.  “hora bar” não é tomar cerveja no boteco, até é em algumas ocasiões especiais. É você conectar e se deixar ser conectado, é ter mente aberta e sobretudo manter-se com mindset de iniciante para aprender com boas conversas. É estar disposto a ouvir pensamentos  convergentes, divergentes com profissionais que orbitam na sua área de interesse ou não. É ler sobre a esquerda em publicações de direta e sobre a direita em publicações de esquerda. Quem tem interesse se torna INTERESSANTE.

No final de um ano no seu balanço geral você será a mesma pessoa, exceto por duas coisas:  pelos livros que você ler e pelas pessoas que você conhecer.

Como professor de cursos executivos há muitos anos, insisto com os alunos sobre a importância da “hora bar” durante o tempo que eles passam estudando na escola. Estas conexões é que farão a diferença nas suas vidas no futuro e não somente aquilo que foi ensinado em sala de aula, até porque o conhecimento sobre gestão não é cumulativo e o que ensinamos hoje não prevalecerá em um futuro breve

Um pesquisa publicada em 2019 por uma Universidade Americana sobre as formas que aluno apropria conhecimento relatava as seguintes fatos: No início desta década os alunos apropriavam apenas 10% de tudo o que o professor ensinava em sala de aula, 70% aprendiam fazendo e apenas 20% através de conversa relevantes. Mesma pesquisa feita em 2018 aponta que os professores representavam menos 5% em relação ao aprendizado dos alunos. Aprendendo fazendo caiu para aproximadamente 50% e conversas relevantes saltaram para 43% (conversas relevantes significa “hora bar”)

As possibilidades de se solucionar problemas são tão amplificadas que não faz sentido você passar dias, semanas, meses, quebrando a cabeça sozinho para resolver um problema se você pode encontrar  uma solução através de uma conversa relevante com  pessoas que já resolveram o mesmo problema. Tenho abreviado muitos esforços na   minha vida executiva através da minha rica rede de relacionamentosNos dias atuais a inteligência do grupo é mais inteligente que o mais inteligente do grupo , não existe mais silêncio “gênio “ pensando. A sala é mais poderosa que o indivíduo.