Sobre Nós
Para Você

NOVO

Para Empresas
Conteúdos
Eventos
Game Changers
Tools
NOVO

Para Você

Avance na carreira e renove seus conhecimentos na mesma velocidade que o mundo muda: na do AGORA

Ver todos

Cursos

Certificações internacionais inovadoras que trazem o que há de mais atual em gestão para um mundo em transformação

Imersões

Imersões executivas presenciais nos mais avançados polos de inovação e empreendedorismo do mundo

Tools

NOVO

As ferramentas de inteligência artificial desenhadas para o seu negócio

Conteúdos

Conteúdo diário sobre inovação, empreendedorismo e os temas mais relevantes do AGORA para que você não perca nada


Porque a startup de entregas da Amazon teve o pior IPO da história de Londres

Deliveroo viu suas ações despencarem 30% em um dia. A empresa foi vítima do efeito Uber?

Porque a startup de entregas da Amazon teve o pior IPO da história de Londres

Deliveroo (foto: Getty)

Por Alberto Cataldi

A expectativa era alta para a estreia da startup de entregas Deliveroo na bolsa de Londres (LSE). A empresa viu seus negócios saltarem durante a pandemia em 2020 e o IPO seria o primeiro de uma Big Tech no trade londrino. Mas a história não foi bem essa. Envolvida em discussões sobre direitos trabalhistas, a empresa viu suas ações despencarem 30% de valor.

A Deliveroo tem a Amazon como sócia, que investiu US$ 575 milhões para adquirir 16% da startup em 2019. O Reino Unido autorizou a movimentação em agosto de 2020. Desde então, a chegada do IPO era vista como um momento histórico para o mercado europeu.

MONTANHA RUSSA

Com um evaluation privado de £ 7,6 bilhões (cerca de US$ 10,4 bilhões), cada papel da Deliveoo foi avaliado em £ 3,90. Quando o mercado abriu, o valor já estava em £ 3,31 – 15% a menos. No fim do dia, as ações chegaram a £ 1,87 – 44% a menos que a avaliação inicial e quase 30% de queda em relação a abertura do mercado. A empresa viu seu valor cair em £ 2 bilhões (US$ 2,7 bilhões) em menos de 24 horas.

Will Shu, fundador e CEO da Deliveroo (foto: divulgação/Deliveroo)

Will Shu, fundador e CEO da Deliveroo, não se mostrou (publicamente) abalado pelo desempenho. "Estou muito orgulhoso que a Deliveroo esteja indo a público em Londres, nossa casa. Ao chegarmos nesse marco, eu quero agradecer a todos que ajudaram a construir a Deliveroo na companhia que é hoje. Em particular aos restaurantes e supermercados, entregadores e clientes. Nessa nova fase de nossa jornada como uma companhia pública, nós continuaremos investindo em inovações que ajudem restaurantes e mercados a crescerem seus negócios, a levar aos clientes mais escolhas do que antes e a oferecer aos entregadores mais trabalho. Nossa meta é construir a companhia online de alimentos definitiva e nós estamos ansiosos com o futuro˜, declarou.

DIREITOS TRABALHISTAS E EFEITO UBER

Embora a Deliveroo tenha sido afetada por uma tendência de queda da bolsa de Londres, o maior impacto foi causado pelo sua relação com os entregadores, que trabalham com bicicletas para entrega de alimentos. A empresa foi alvo de diversas reportagens no último ano que revelaram que o pagamento dos courriers da empresa é menor do que o salário mínimo por hora do país. 

Além disso, uma decisão recente da justiça do Reino Unido classificou mais de 70 mil motoristas da Uber no país como empregados da empresa, o que exige o pagamento de benefícios. Um dos receios para os grandes investidores é que o movimento comece a afetar outras companhias com modelos de trabalho semelhantes.

Com tanta agitação em apenas um dia, algumas coisas já estão ficando claras no horizonte: a vontade do governo do Reino Unido de atrair mais empresas tech para a região e para a LSE recebeu um golpe forte. Principalmente pela incerteza dos próximos movimentos legislativos em relação aos novos modelos de trabalho que possam dar mais segurança para grandes investidores. 


Assuntos relacionados

Abra sua cabeça para as novas oportunidades!

Cadastra-se e receba diariamente o resumo do que importa com a análise do time StartSe!

Leia o próximo artigo