Sobre Nós
Para Você

NOVO

Para Empresas
Conteúdos
Eventos
Game Changers
Tools
NOVO

Para Você

Avance na carreira e renove seus conhecimentos na mesma velocidade que o mundo muda: na do AGORA

Ver todos

Cursos

Certificações internacionais inovadoras que trazem o que há de mais atual em gestão para um mundo em transformação

Imersões

Imersões executivas presenciais nos mais avançados polos de inovação e empreendedorismo do mundo

Tools

NOVO

As ferramentas de inteligência artificial desenhadas para o seu negócio

Conteúdos

Conteúdo diário sobre inovação, empreendedorismo e os temas mais relevantes do AGORA para que você não perca nada


Plant-based: Fábrica Meatz lança 'carne louca' feita de jaca

A nova foodtech é resultado de uma fusão entre a Behind The Foods e Meatz e traz uma nova perspectiva ao setor plant-based

Plant-based: Fábrica Meatz lança 'carne louca' feita de jaca

, jornalista da StartSe

4 min

16 dez 2021

Atualizado: 23 jan 2023

Por Tainá Freitas

Esqueça a soja e a ervilha: a matéria-prima da vez no setor plant-based é a jaca. A fruta, que já vinha sendo utilizada em receitas caseiras de “carne de jaca", agora está sendo usada em grande escala, pela foodtech Fábrica Meatz.

A Fábrica Meatz é um nome novo, mas a companhia não é completamente iniciante no mercado. A startup é uma fusão entre a Meatz – que produzia fibra para hambúrgueres vegetais – e a Behind The Foods, que possuía a própria versão de hambúrguer feito de plantas.

A Meatz era uma fornecedora da Behind The Foods. A parceria foi realizada neste ano e é bastante equilibrada: enquanto a Meatz trouxe as fábricas para produção, a Behind The Foods colabora com a expetise em receitas e vendas. Agora, as companhias se unem para produzir a carne louca – uma receita típica de festas de família no Brasil –, mas feita de fibras de jaca.

 

CARNE FEITA DE JACA?

Enquanto nas receitas vegetarianas a fruta é utilizada pela consistência semelhante à fibras da carne, na Fábrica Meatz ela passa por processos que atribuem nova cor e sabor.

Nós desenvolvemos uma maneira de descascá-la, o que não é fácil. Hoje, possuímos uma tecnologia 3D para trazer sabor, aparência e cor que chamamos de 3D True Texture Meatz”, explica Pedro Ian, fundador da Fábrica Meatz, em entrevista à StartSe.

Há uma série de ingredientes utilizados no processo – e a startup quer fugir dos “nomes difíceis” . “Usamos a beterraba e chá preto natural para dar cor à jaca; azeite de oliva extravirgem para trazer uma gordura boa e aroma natural da carne que produzimos com um fornecedor exclusivo, para trazer o gostinho de carne de panela”, explica Leandro Mendes, fundador da Fábrica Meatz (e da antiga Behind The Foods). A foodtech também utiliza carvão vegetal ativado, levedura e ácido cítrico (como conservante).

VERSÃO 1.0

Enquanto no modelo de negócios da Behind The Foods a venda da carne plant-based era diretamente aos restaurantes, a Fábrica Meatz está trazendo sua carne louca aos mercados de bairro. “Estamos focando nos pequenos comércios para ter um feedback atento dos consumidores. Vendemos na Casa Bueno, Naturalis, Empório La Granola, Vegan Style, entre outros”, conta o fundador Pedro.

A companhia já prevê mudar alguns pontos no design da embalagem e na própria receita da carne louca. A expectativa é de diminuir o sódio e aumentar a quantidade de proteína presente no produto. Atualmente, o preço sugerido é de R$ 19,90 a bandeja com 200 gramas  – que, segundo os fundadores, "rende muito".

“A embalagem rende muito e é multireceita. Usamos o nome ‘carne louca’ porque é uma receita clássica, com memória afetiva, mas é uma sugestão de preparo”, explica Leandro.

MERCADO EM PLENA EXPANSÃO

A Behind The Foods lançou seu hambúrguer vegetal em 2019. Naquele período, eram poucos os concorrentes brasileiros disponíveis nas prateleiras (ou restaurantes). Agora, há opções para todos os gostos, de foodtechs e marcas tradicionais. 

“Com a chegada de todas essas marcas, as pessoas entenderam o porquê do produto. Não é um luxo, uma inovação pela inovação. Há uma causa gigante, uma preocupação de que não teremos comida para todo mundo no futuro, de que a carne irá ficar mais cara; é uma alternativa mais sustentável do que a versão animal”, conta o fundador Leandro.

A Fábrica Meatz conta com um investimento-anjo de R$ 2 milhões para acelerar neste mercado. Há muito espaço para crescer: a expectativa é que o setor global de carne plant-based seja avaliado em US$ 13,8 bilhões em 2027, de acordo com a Million Insights.

 


Imagem de perfil do redator

Jornalista formada pela Faculdade Cásper Líbero. Apresenta o podcast Agora em 10 na StartSe e também atua na área de Comunidades na empresa. É especialista em inovação, tecnologia e negócios.

Abra sua cabeça para as novas oportunidades!

Cadastra-se e receba diariamente o resumo do que importa com a análise do time StartSe!

Leia o próximo artigo