Sobre NósPara Você
Para EmpresasConteúdos
Eventos
Game Changers

Para Você

Avance na carreira e renove seus conhecimentos na mesma velocidade que o mundo muda: na do AGORA

Ver todos

Cursos

Certificações internacionais inovadoras que trazem o que há de mais atual em gestão para um mundo em transformação

Imersões

Imersões executivas presenciais nos mais avançados polos de inovação e empreendedorismo do mundo

Eventos

Jornadas de conhecimento fomentando o aprendizado dinâmico e inovador em diversos formatos e intensidades

Ver todos

Ainda não temos eventos programados. Mas estamos preparando encontros repletos de inovação para você!

Conteúdos

Conteúdo diário sobre inovação, empreendedorismo e os temas mais relevantes do AGORA para que você não perca nada


Artigos
Empreendedorismo

Mercado Livre: a estratégia de sucesso do marketplace

Conheça a história da empresa que, em 2021, foi considerada a mais valiosa da América Latina, desbancando a Vale

Mercado Livre: a estratégia de sucesso do marketplace

Logo do Mercado Livre durante a pandemia (foto: divulgação)

Por Tabatha Benjamin.

A HISTÓRIA DO MERCADO LIVRE

O Mercado Livre nasceu em 1999 em Buenos Aires. A ideia era que qualquer pessoa pudesse usar um site para anunciar e vender seus próprios produtos. Para realizar o sonho de revolucionar o e-commerce na América Latina, Marcos Galperin se uniu a uma equipe de empreendedores, entre eles o brasileiro Stelleo Tolda.

A empresa começou como um site de leilões de produtos usados, com transações entre pessoas físicas, inspirado no americano eBay. Dois meses após o início da companhia na Argentina, Tolda começou a tocar a operação no Brasil e, em paralelo, já se iniciavam as atividades no México e Paraguai. 

Em 2000, mais quatro países foram incluídos: Equador, Chile, Venezuela e Colômbia. Ainda naquele ano, o Mercado Livre recebeu mais de US$ 46 milhões de investimento de diversos grupos financeiros. Em 2001, o eBay comprou 19,5% da companhia. Mas em 2016, a empresa norte-americana vendeu suas ações por US$ 925 milhões. 

As ações do e-commerce foram incluídas na NASDAQ, a bolsa de valores de Nova York, em 2007. Dez anos depois, tornou-se a primeira startup argentina a superar os US$ 10 bilhões em capitalização na bolsa, entrando para o NASDAQ 100, a lista das empresas mais valiosas da bolsa de valores de tecnologia. 

Ainda em 2017, o Mercado Livre também atingiu a marca de 1 milhão de itens vendidos em um dia. Em 2020, o e-commerce ganhou 5 milhões de novos clientes e registrou recorde de 1,4 milhão de pedidos entregues em apenas um dia.

Avião da frota do Mercado Livre (foto: divulgação)

O QUE O MERCADO LIVRE FAZ?

Trata-se de um comércio eletrônico que oferece a plataforma e os serviços necessários para que pessoas e empresas possam comprar, pagar, vender, enviar, anunciar e gerir seus negócios na Internet. 

Seus públicos são B2B (empresas que vendem para empresas), B2C (empresas que vendem para o consumidor final) e C2C (consumidores que vendem para outros consumidores).

Hoje, o marketplace – MercadoLivre.com – é o maior da América Latina. Além disso, a plataforma oferece os serviços:

  • Mercado Pago – a fintech surgiu em 2004 e, no último trimestre de 2020, alcançou a marca de US$ 15,9 bilhões em volume de pagamentos. Oferece carteira digital, checkout para e-commerce (compra mais rápida), link de pagamentos, QR code, máquina de cartão e empréstimos;
  • Mercado Envios – serviço interno que tem o objetivo de agilizar o transporte de mercadorias e dar maior segurança a esse processo, atuando em parceria com outras transportadoras;
  • Mercado Shops – a plataforma online para vendedores conta com aplicativo para Android e iOS e ajuda o usuário a gerenciar suas vendas, o que já inclui os serviços do Mercado Pago e Mercado Envios;
  • Mercado Livre Publicidade – é a plataforma de anúncios do Mercado Livre, que auxilia os vendedores a promoverem a visibilidade de seus produtos no e-commerce e, consequentemente, aumentarem suas vendas.

COMO O MERCADO LIVRE INOVOU?

O Mercado Livre já surgiu de uma ideia inovadora, principalmente para a América Latina, e tinha o objetivo de dar espaço a diferentes pessoas e pequenos comércios para venderem seus produtos em um único lugar, um marketplace livre a todos.

Um dos fatores para o crescimento da companhia, foi o investimento em centros de distribuição e logística próprios, o que fez com que não dependessem apenas de terceiros para tal. Ou seja, tecnologia, automação, inovação, conexão de canais e a proximidade dos centros de distribuição dos clientes foram fatores cruciais para que a empresa se tornasse o que se tornou.

Além da criação do Mercado Pago, Mercado Envios, Mercado Shops e Mercado Livre Publicidade, o grupo também investiu na própria frota de aviões em 2020. O investimento em quatro aeronaves operadas por diferentes companhias aéreas visa a reduzir os prazos dos envios e aumentar a capacidade de entregas para o dia seguinte para compras de produtos armazenados nos centros de distribuição de São Paulo e Bahia.

Outro ponto inovador é o Mercado Livre Commerce Fund, o Fundo de Capital de Risco Corporativo, que investe em startups de tecnologia com o objetivo de impulsionar o setor na América Latina. Em 2020, seis startups brasileiras (Warren, BizCapital, Kangu, Pier, EmCasa e Carflix) e uma argentina (Intuitivo) receberam o investimento, com aporte total de R$ 30 milhões. 

Melicidade, a sede do Mercado Livre em São Paulo (foto: divulgação)

POR QUE O MERCADO LIVRE É CASE DE SUCESSO?

O Mercado Livre é um dos pioneiros do marketplace no Brasil e atende os mais diversos públicos:

  • Empresas que vendem para empresas – por exemplo, um pequeno comércio pode comprar no site um freezer ou um fogão industrial.
  • Empresas que vendem para pessoas físicas – por exemplo, uma pessoa que compra um par de tênis na loja oficial da Adidas dentro do marketplace.
  • Pessoas que vendem para pessoas – por exemplo, alguém que está vendendo itens seminovos no site, como uma câmera fotográfica profissional.

Isso significa que quanto mais gente é alcançada pela marca, mais fácil é vender e melhores são os resultados.

Não é para menos que, em 2021, o Mercado Livre desbancou a Vale e se tornou a empresa mais valiosa da América Latina. De acordo com dados da provedora de informações financeiras Economatica, o e-commerce alcançou o valor de mercado de US$ 90,51 bilhões

E o mais curioso nesse fato é: o grupo chegou lá sem oferecer nenhum produto próprio em seu marketplace. Os itens disponíveis na plataforma são de outros vendedores, pessoas físicas e jurídicas. No entanto, houve muito investimento em inovação tecnológica e, principalmente, em logística.

Escritório do Mercado Livre no Melicidade (foto: divulgação)

COMO É A GESTÃO NO MERCADO LIVRE?

Sobre a cultura organizacional da empresa, Patrícia Monteiro, diretora de Recursos Humanos, explicou à Exame: “Aprender com agilidade e aprender para fazer diferente fazem parte do DNA da Meli. Para nós, você pode correr riscos, aprender rápido, trabalhar em equipe, mas ainda se divertir no caminho”.

Desde 2018, o Mercado Livre custeia o congelamento de óvulos para colaboradoras a partir de 33 anos que pretendem engravidar futuramente e estejam trabalhando lá há pelo menos 1 ano. A empresa financia até 70% do tratamento diretamente ao provedor escolhido pela funcionária, com um valor máximo a ser pago pelo Mercado Livre de US$ 5 mil.

Para acolher a mulher que decide ser mãe, a varejista disponibiliza: sala de apoio à amamentação na empresa e flexibilidade na jornada de trabalho no retorno da licença maternidade, que se estende pelos dois primeiros anos de vida da criança.

A empresa também intensificou o investimento na saúde física e mental de seus colaboradores em 2020. Para quem foi para o home office e quem permaneceu trabalhando presencialmente, o Mercado Livre fez pesquisas para acompanhar o bem-estar ao longo da pandemia e criou atividades de mindfulness e ioga.

Refeitório do Mercado Livre no Melicidade (foto: divulgação)

O QUE O MERCADO LIVRE PODE TE ENSINAR?

Como é possível perceber, o Mercado Livre criou diversos serviços para auxiliar a experiência de seus usuários e clientes. “Não somos mais um site. Somos um ecossistema que ajuda as pessoas a fazerem comércio eletrônico”, disse o fundador Marcos Galperin à Exame. E o CEO tem algumas lições a ensinar sobre empreendedorismo de sucesso:

Não temer os riscos

“Meu primeiro conselho é assumir riscos. Se você quer fazer diferente e agregar valor, tem que se sentir cômodo pensando que muitas vezes isso pode não funcionar”, contou Galperin.

Pensar no longo prazo

“Pensar em empreender só para ter retorno financeiro não é uma boa forma de ter êxito. É muito difícil fazer uma empresa e, se você só se motiva pelo retorno financeiro, dificilmente vai ter a paciência e perseverança para ter sucesso”, afirmou.

Tentar fazer diferente da maioria

“Tem que ir na contramão e sentir-se cômodo com isso. Mesmo que todo mundo pense que você está equivocado”, aconselhou.

Ficha

Nome: Mercado Livre

Ano de fundação: 1999

Origem: Buenos Aires, Argentina

Valor de mercado: US$ 90,51 bilhões

CEO: Marcos Galperin

Concorrentes: OLX, Amazon, Shopee, AliExpress, Enjoei.

 

O "Tradicional" já não tem mais impacto. Conheça nosso programa de Formação Executiva xBA e construa um diferencial competitivo relevante para sua liderança, dominando os inovadores princípios de uma Gestão Exponencial aprendendo diretamente com experts internacionais do Vale do Silício, em um programa exclusivo e restrito em parceria com a Nova SBE Executive Education, uma das mais conceituadas Escolas de Negócios da Europa.


Assuntos relacionados

Abra sua cabeça para as novas oportunidades!

Cadastra-se e receba diariamente o resumo do que importa com a análise do time StartSe!

Leia o próximo artigo