Sobre Nós
Para Você

NOVO

Para Empresas
Conteúdos
Eventos
Game Changers
Tools
NOVO

Para Você

Avance na carreira e renove seus conhecimentos na mesma velocidade que o mundo muda: na do AGORA

Ver todos

Cursos

Certificações internacionais inovadoras que trazem o que há de mais atual em gestão para um mundo em transformação

Imersões

Imersões executivas presenciais nos mais avançados polos de inovação e empreendedorismo do mundo

Tools

NOVO

As ferramentas de inteligência artificial desenhadas para o seu negócio

Conteúdos

Conteúdo diário sobre inovação, empreendedorismo e os temas mais relevantes do AGORA para que você não perca nada


Real ou fake? Para ser um grande empresário você precisa fingir

Há um segredo entre empresários de organizações bilionárias. Em algum momento, a maioria deles precisou fingir.

Real ou fake? Para ser um grande empresário você precisa fingir

Sam Bankman-Fried, fundador da FTX, em evento em Nova York (foto: Craig Barritt / Correspondente /Getty)

, Produção de Conteúdo

4 min

14 nov 2022

Atualizado: 4 jan 2023

texto por Junior Borneli, originalmente publicado no LinkedIn

Who is next?

> Adam Neumann, fundou o WeWork.
> Elizabeth Holmes, fundou a Theranos.
> Sam Bankman-Fried, fundou a FTX.

Cada uma dessas empresas esteve avaliada em dezenas de bilhões de dólares. Os maiores investidores do mundo aportaram milhões e milhões de dólares nessas companhias.

> Adam Neumann foi chamado de "Rei Midas".
> Elizabeth foi chamada de "nova Steve Jobs".
> Sam Bankman-Fried foi chamado de "novo Warren Buffett".

O que, de fato, eles têm em comum? São gênios ou criminosos? Qual a diferença deles para Elon Musk, por exemplo? O ponto de partida de todos, incluindo Elon, é o mesmo: fazer o que ninguém jamais fez.

Há uma frase jocosa, mas um tanto quanto verdadeira, que ronda esses empreendedores: "fake until you make it". Algo traduzido como "fingir até conseguir".

Isso funciona assim: fazer algo inédito é muito desafiador, exige dinheiro e tempo. Para que os investidores não cortem o dinheiro e o empreendedor ganhe tempo, ele finge que tudo vai bem.

Esse "fingimento" garante o tempo e o dinheiro necessário para que o negócio funcione. Há muitos especialistas que dizem, por exemplo, que Elizabeth Holmes estava há 1 ano de mudar o mercado da saúde.

É correto? É moral? É justo? Elon Musk esteve à distância de 1 explosão do foguete da SpaceX para se juntar a essa turma aí. E a 1 semestre sem entregas relevantes na Tesla, para ser chamado de "falsário".

O Uber é prova: Travis Kalanick, fundador da empresa, é tão polêmico quanto esses da foto. Mas o negócio dele prosperou e vale US$ 58 bilhões. Mas a dúvida "gênio ou farsante" sempre existiu.

Enfim, a questão final é: quem será o próximo gênio? Quem será o novo farsante? Ou ainda: eram mesmo farsantes ou realmente acreditaram que poderiam mudar o mundo?



Assuntos relacionados

Imagem de perfil do redator

Produtora de conteúdo na StartSe, roteirista e organizadora do Podcast Organizações Infinitas.

Abra sua cabeça para as novas oportunidades!

Cadastra-se e receba diariamente o resumo do que importa com a análise do time StartSe!

Leia o próximo artigo