Sobre Nós
Para Você

NOVO

Para Empresas
Conteúdos
Eventos
Game Changers
Tools
NOVO

Para Você

Avance na carreira e renove seus conhecimentos na mesma velocidade que o mundo muda: na do AGORA

Ver todos

Cursos

Certificações internacionais inovadoras que trazem o que há de mais atual em gestão para um mundo em transformação

Imersões

Imersões executivas presenciais nos mais avançados polos de inovação e empreendedorismo do mundo

Tools

NOVO

As ferramentas de inteligência artificial desenhadas para o seu negócio

Conteúdos

Conteúdo diário sobre inovação, empreendedorismo e os temas mais relevantes do AGORA para que você não perca nada


Por que o número de vagas nas big techs caiu 84% em relação a janeiro?

GlobalData aponta que queda faz parte do cenário desafiador, com demissões em massa e congelamento de contratações

Por que o número de vagas nas big techs caiu 84% em relação a janeiro?

Big techs (Fonte: Getty Images)

, conteúdo exclusivo

5 min

13 dez 2022

Atualizado: 4 jan 2023

A sigla mudou – e o cenário para quem deseja trabalhar nas big techs também. As FAAMNG (grupo anteriormente chamado FAANG, formado por Meta, Apple, Amazon, Netflix e Google) tiveram uma queda brusca nas suas listagens de empregos em novembro. Segundo dados da GlobalData, no mês passado o número de vagas caiu 84% em relação ao que foi listado em janeiro deste ano.

De acordo com os analistas da consultoria, a queda faz parte do cenário cada vez mais desafiador que estes negócios vêm enfrentando, com ondas de demissão em massa, congelamento de contratações e vários planos de reestruturação interna de times.

Dados de contratações nas FAAMNG durante 2022 (Crédito: divulgação/GlobalData)


No seu relatório, a analista da GlobalData, Sherla Sriprada, lembrou que, em novembro, a Meta demitiu 11 mil colaboradores em sua força global, com uma queda drástica no número de contratações durante o mesmo mês. “As listagens de empregos da Meta diminuíram 92% em novembro de 2022 em comparação com o mês anterior”, apontou Sherla.

No caso da Amazon, os números de vagas em aberto caíram 68% em novembro. Apesar de ainda não ter feito oficialmente nenhuma grande onda de demissões, veículos norte-americanos têm noticiado que cerca de 10 mil a 20 mil posições devem ser desligadas nos próximos meses, dentro de um plano de redução de custos na companhia de Jeff Bezos.

Por sua vez, a Microsoft fez em outubro o seu passaralho, demitindo cerca de mil colaboradores, alegando que passa por um momento de “reavaliação do negócio”, o que levou a ajustes estruturais em suas divisões. No âmbito geral, os cortes não representaram uma grande fatia do negócio – afinal de contas, a MS tem cerca de 200 mil colaboradores.

No seu relatório, a GlobalData também analisou as diferenças nas contratações das big techs no quesito geográfico. Segundo o levantamento, as listagens de empregos da Netflix aumentaram na região da Ásia-Pacífico em novembro de 2022, enquanto as postagens da Microsoft cresceram no Oriente Médio e na África. Na Europa, no entanto, as ofertas de emprego da Alphabet e da Netflix permaneceram constantes.


(Por Leandro Miguel Souza, publicado originalmente em Startups.com.br)


Assuntos relacionados

Imagem de perfil do redator

O mais conceituado portal sobre startups do Brasil. Veja mais em www.startups.com.br.

Abra sua cabeça para as novas oportunidades!

Cadastra-se e receba diariamente o resumo do que importa com a análise do time StartSe!

Leia o próximo artigo