Sou Aluno
Sobre Nós
Para Você
Para Empresas
Conteúdos
Eventos
Comunidades
Tools
Parcerias

Para Você

Avance na carreira e renove seus conhecimentos na mesma velocidade que o mundo muda: na do AGORA

Ver todos

Cursos

Certificações internacionais inovadoras que trazem o que há de mais atual em gestão para um mundo em transformação

Imersões

Imersões executivas presenciais nos mais avançados polos de inovação e empreendedorismo do mundo

Tools

As ferramentas de inteligência artificial desenhadas para o seu negócio

Conteúdos

Conteúdo diário sobre inovação, empreendedorismo e os temas mais relevantes do AGORA para que você não perca nada


Comunidades

Amplie seu networking, encontre parceiros de negócios e discuta as maiores tendências e inovações com a alta liderança do mercado


Conheça proposta de e-commerce mais rápido e performático, sem a necessidade de desenvolvedor e mais barato

Entenda como a Retail Hub abre rodada pré-seed para democratizar tecnologia para e-commerces

Conheça proposta de e-commerce mais rápido e performático, sem a necessidade de desenvolvedor e mais barato

Mulher administrando e-commerce (Foto: Canva)

, conteúdo exclusivo

6 min

10 out 2023

Atualizado: 10 out 2023

Receba conteúdos exclusivos do AGORA

Fique por dentro das últimas novidades e tendências do mercado com nossos conteúdos exclusivos!

Por Gabriela Del Carmen

Focada em democratizar o acesso à tecnologia no mercado de comércio eletrônico, a startup Retail Hub planeja o próximo movimento de sua estratégia. Após pivotar o negócio recentemente para melhor atender às dores do mercado, a companhia busca aperfeiçoar o produto e ganhar tração a partir de sua rodada de investimento pré-seed, a ser concluída ainda em 2023.

Visão certa na hora errada

Fundada em 2018 por Juliana Caruso Sacchi, a companhia pivotou algumas vezes até chegar no modelo atual. Em seus primórdios, o negócio oferecia solução de inteligência artificial trazida de Israel em uma época em que praticamente não se falava desta tecnologia no Brasil – o que, apesar de inovador, trouxe alguns desafios. “Foi a visão certa na época errada”, avalia a empreendedora. Depois, ofereceu serviços de agência e consultoria de e-commerce para empresas e, há cerca de três meses, passou a operar oficialmente como uma startup.

“A partir dos desafios que os clientes apresentavam, reformulamos o modelo para uma startup, colocando a tecnologia totalmente no centro. Um e-commerce muito mais rápido e performático, sem a necessidade de um desenvolvedor, e a um preço muito mais acessível”, afirma Juliana. 

A proposta é criar soluções acessíveis e fáceis de usar, eliminando as barreiras técnicas e proporcionando às empresas a liberdade de prosperar online. Ou seja, uma solução de ponta projetada especificamente para varejistas e empresas de comércio eletrônico criarem experiências digitais sem esforço.

Varejo, e-commerce, tablet, loja online, loja virtual (Foto: Pexels)

A startup possui integrações com plataformas como a VTEX para a implementação das lojas digitais. Segundo Juliana, o diferencial da Retail Hub está na visão de negócio, centrada em atender às dores e necessidades do cliente. “Uma frase que gosto muito é ‘antes de escalar, é preciso fazer o seu cliente amar o seu produto’. Então, optamos por focar no produto antes de ir atrás de um ganho rápido de tração. E acho que conseguimos fazer isso – recentemente um cliente até brincou que iria tatuar o nome da Retail Hub”, conta.

Depois das pivotagens e novos desenvolvimentos, agora, a solução está pronta. Mas, como diz Juliana, sempre há melhorias para serem feitas. Por isso, a startup acaba de abrir sua primeira rodada institucional – um pré-seed entre US$ 600 mil e US$ 800 mil, cujo foco principal será aperfeiçoar o produto e ganhar mais tração.


Reunindo investidores

A startup já começou a conversar com investidores – e recebeu, inclusive, propostas para fechar uma captação ainda maior do que o previsto. “Conversei com alguns fundos que nos disseram que a Retail Hub já está no estágio mais avançado, e que poderíamos buscar cerca de US$ 1,5 milhão. Mas optamos por captar menos”, diz a executiva. A decisão partiu do desejo de construir um captable saudável para as rodadas futuras.

“Um dos aprendizados que tive ao longo da minha jornada é que muito dinheiro pode atrapalhar. Infla o negócio muito rápido e pode gerar ineficiências ou perda de cultura. Traçamos nossas prioridades e vimos que US$ 800 mil em um runway de 18 meses seriam suficientes para construirmos o produto e tracionar um pouco mais o negócio” explica.

O plano é trazer cerca de 10 investidores-anjo e 2 fundos para o quadro societário, com um olhar especial para o smart money. “Seremos cirúrgicos na nossa escolha, com investidores que possam de fato contribuir para a evolução da empresa”, afirma Juliana. Otimista com o mercado de venture capital, ela analisa que sempre haverá dinheiro e oportunidades disponíveis para bons negócios e empreendedores.

“O mercado mudou. Está buscando cada vez mais o equilíbrio entre lucratividade, escalabilidade e rentabilidade. No caso da Retail Hub, já termos o produto, a validação de clientes e geração de receita tem feito toda a diferença”. A expectativa é abrir uma nova rodada, aí sim um seed na faixa dos US$ 1,5 milhão, em meados de 2024.

Gostou deste conteúdo? Deixa que a gente te avisa quando surgirem assuntos relacionados!


Assuntos relacionados

Imagem de perfil do redator

O mais conceituado portal sobre startups do Brasil. Veja mais em www.startups.com.br.

Leia o próximo artigo

Receba conteúdos exclusivos do AGORA

Fique por dentro das últimas novidades e tendências do mercado com nossos conteúdos exclusivos!