Sobre Nós
Para Você

NOVO

Para Empresas
Conteúdos
Eventos
Game Changers
Tools
NOVO

Para Você

Avance na carreira e renove seus conhecimentos na mesma velocidade que o mundo muda: na do AGORA

Ver todos

Cursos

Certificações internacionais inovadoras que trazem o que há de mais atual em gestão para um mundo em transformação

Imersões

Imersões executivas presenciais nos mais avançados polos de inovação e empreendedorismo do mundo

Tools

NOVO

As ferramentas de inteligência artificial desenhadas para o seu negócio

Conteúdos

Conteúdo diário sobre inovação, empreendedorismo e os temas mais relevantes do AGORA para que você não perca nada


Nova startup Biobots cria influenciadores virtuais e NFT

Empresa cria avatares, influenciadores virtuais e NFTs; entenda porquê isso é importante agora e no futuro, em um metaverso

Nova startup Biobots cria influenciadores virtuais e NFT

, jornalista da StartSe

5 min

23 nov 2021

Atualizado: 23 jan 2023

Por Tainá Freitas

Satiko: este é o nome da influenciadora virtual da Sabrina Sato. A celebridade construiu seu avatar com a Biobots, nova startup que cria influenciadores virtuais e NFTs. Agora, ela irá participar das redes sociais de Sato, mas trazendo novas possibilidades – inclusive uma nova personalidade.

A expectativa é que a Satiko mostre experiências diferentes do que as de Sabrina Sato, de forma a conquistar um novo público e engajar o já existente. “O influenciador pode adorar paraquedas, mas não saltar por medo. O influenciador digital ou avatar poderá fazer isso, bem como estar em qualquer lugar do mundo”, explica Ricardo Tavares, CEO da Biobots, em entrevista à StartSe.

O influenciador digital não é algo novo para o público brasileiro. A Lu, do Magalu, é um exemplo que trouxe mais afinidade para os consumidores no país. Embora seja digital, a influenciadora virtual "participa" de eventos presenciais e faz publicidades.

POR QUE CRIAR UM INFLUENCIADOR DIGITAL?

Enquanto os influenciadores reais – e embaixadores de marca – estão suscetíveis a cometer erros que podem expor a empresa, o risco é diferente com os influenciadores digitais, pois a experiência é 100% controlada.

“É possível criar avatares que descendem de pessoas com personalidades conhecidas e consolidadas, não apenas artistas, mas esportistas, cantores, etc. São suas versões no mundo digital”, conta o fundador da companhia.

Além disso, para a Biobots, os avatares têm tudo a ver com outra tendência do momento: o metaverso. O metaverso é a união entre o universo virtual e físico, trazendo uma experiência híbrida em que é possível trabalhar, ir a shows e até fazer exercícios através de óculos de realidade virtual. 

O Facebook mudou de nome para “Meta” para investir com tudo no setor. Essa também é a aposta da Epic Games, Roblox, Gucci, Disney, entre outras companhias.

“O avatar é um cartão de entrada para o metaverso. Você não poderá participar dele profundamente se não tiver uma persona e é nisso em que pautamos o nosso modelo de negócios”, explica o fundador da Biobots.

Mark Zuckerber demonstra uso do VR (foto: divulgação)

COMO CRIAR UM INFLUENCIADOR VIRTUAL?

Foram mais de 60 dias para decidir como seria o cabelo da Satiko. Isso porque o avatar é “feito a mão”, com todos os detalhes de textura de pele, cabelo e personalidade decididos por uma equipe qualificada.

O avatar poderá ter personalidade igual ao dono ou diferente, como é o caso da Satiko. “Tudo começa com um questionário com as intenções para o avatar. São níveis de produção: no caso da Satiko, todas as roupas são feitas por um designer de moda, há um diretor de arte”, explica.

O próprio Facebook deixou claro a possibilidade das pessoas moldarem a própria aparência no metaverso. No vídeo de divulgação, é possível ver pessoas com avatares comuns conversando com outras com aparência de robô, por exemplo.

CONSTRUINDO A INTERNET DO FUTURO?

Há quem acredite que o metaverso é o futuro da internet, o NFTs, o futuro da arte, e as criptomoedas, o futuro do dinheiro. Ainda não é possível saber se eles serão as opções dominantes, mas é impossível negar que esses são mercados em pleno crescimento.

Para se tornar um player dominante no mercado brasileiro e Miami (onde também está presente), a Biobots está contando com um investimento de R$ 20 milhões, levantado com investidores-anjo.

E O NFT?

A aposta em influenciadores virtuais e avatares não é necessariamente atrelada aos tokens não fungíveis, mas estes são universos próximos.

É possível fazer um NFT da Satiko para que a propriedade intelectual seja comprovada através da blockchain, por exemplo. “As pessoas poderão começar a trocar avatares de acordo com o valor e raridade, e é algo que será eternizado na blockchain”, explica Heitor Miguel, chefe de tecnologia e sócio da Biobots.

Além disso, é possível a comercialização de roupas para os avatares através de NFT. A Gucci é uma das marcas de alta costura que criou roupas virtuais. Atualmente, a Biobots realiza o processo de mintagem (ou seja, a criação) dos NFTs.

Banner newsletter StartSe


Assuntos relacionados

Imagem de perfil do redator

Jornalista formada pela Faculdade Cásper Líbero. Apresenta o podcast Agora em 10 na StartSe e também atua na área de Comunidades na empresa. É especialista em inovação, tecnologia e negócios.

Abra sua cabeça para as novas oportunidades!

Cadastra-se e receba diariamente o resumo do que importa com a análise do time StartSe!

Leia o próximo artigo