Sobre Nós
Para Você

NOVO

Para Empresas
Conteúdos
Eventos
Game Changers
Tools
NOVO

Para Você

Avance na carreira e renove seus conhecimentos na mesma velocidade que o mundo muda: na do AGORA

Ver todos

Cursos

Certificações internacionais inovadoras que trazem o que há de mais atual em gestão para um mundo em transformação

Imersões

Imersões executivas presenciais nos mais avançados polos de inovação e empreendedorismo do mundo

Tools

NOVO

As ferramentas de inteligência artificial desenhadas para o seu negócio

Conteúdos

Conteúdo diário sobre inovação, empreendedorismo e os temas mais relevantes do AGORA para que você não perca nada


Agora é oficial: Apple é multada e terá que fornecer carregadores para usuários de iPhone

iPhone sem carregador segue dando o que falar, mas agora deve pesar no bolso da gigante americana. Entenda

Agora é oficial: Apple é multada e terá que fornecer carregadores para usuários de iPhone

, Jornalista

5 min

25 ago 2022

Atualizado: 4 jan 2023

Por Camila Petry Feiler

Quando a Apple lançou a venda dos iPhones sem carregador, eles falavam sobre sustentabilidade como core da ação, mas especialistas apontam que a empresa acabou retendo US $6.5 bilhões com a iniciativa. Agora o Ministério da Justiça multou a Apple em R$ 12,2 milhões e suspendeu imediatamente a venda de Iphones que estiverem desacompanhados do carregador de energia.

Inclusive, a alegação é que a falta do carregador não agiu diretamente na proteção ao meio ambiente:

"(A Apple), que continua a fabricar os carregadores de bateria, propaga, declaradamente, o discurso de que a escolha da compra foi passada ao consumidor, mas, na verdade, é ela quem decidiu o modo de fornecimento de seu produto. Não há elementos para considerar justificada uma operação que, visando, declaradamente, a reduzir emissões de carbono, acarreta a inserção no mercado de consumo de produto cujo uso depende da aquisição de outro, que é, também, comercializado pela empresa”.

A justiça de São Paulo condenou a Apple a pagar uma indenização de 100 milhões de reais por danos sociais. Além disso, o juíz Caramuru Afonso Silva, da 18ª Vara Cível, também ordenou a empresa entregar carregadores para quem comprou iPhones a partir de 13 de outubro de 2020.

O Procon do Rio de Janeiro já havia multou a Apple em R$ 12,27 milhões por conta da venda do iPhone 12 sem carregador na caixa. O órgão argumenta que a prática é abusiva e configura prática de venda casada, já que o carregador é item indispensável para o uso do produto. Além disso, o Procon já se adiantou e emitiu notificações aos modelos iPhone 13 e 14, que será lançado em setembro, no Brasil. 

Nesse caso, a multa é individualizada por modelo, o que pode totalizar um prejuízo de R$36 milhões para a Apple. O Procon deu um prazo de 20 dias para que a empresa responda a notificação sobre o iPhone 13, que faz parte de um processo sancionatório.

Já no caso do iPhone 14, que ainda não está no mercado, o Procon visa uma averiguação preliminar e determinou um prazo de resposta de cinco dias.

Não é a primeira vez que a Apple é multada por isso

iphone-13-linha-base-do-iphone-conta-com-uma-nova-cor-e-novos-tons

Pois é, a empresa já teve que indenizar uma consumidora, de Goiânia, em R$ 5 mil por vender um modelo de iPhone sem o carregador.  Além disso, a Apple já chegou a ser multada em em R$ 10 milhões pelo Procon de São Paulo pela questão. Em Fortaleza e Florianópolis, os órgãos também movimentaram a mesma ação.

Veja também:

Por que importa?

A Apple tem apostado no seu ecossistema para crescer a receita, indo além dos iPhones. Tanto é que os fones de ouvido da marca geraram receita maior que o Spotify, em 2019. Entretanto, Junior Borneli, CEO da StartSe, alega que “a partir do momento que a Apple se tornou uma arena aberta, ela se tornou o que é.” 

Ou seja, ela está sendo pressionada a repensar suas barreiras de exclusividade, que incluem suas licenças competitivas. Assim como os carregadores, a Apple também vive a crise onde Europa e Índia querem criar um padrão para a entrada de carregadores USB-C, fazendo com que a empresa se adapte para não perder mercado. 

Dessa forma, como ela pode oferecer exclusividade tendo que equiparar seus aparelhos às demandas públicas? 


Assuntos relacionados

Imagem de perfil do redator

Jornalista focada em empreendedorismo, inovação e tecnologia. É formada em Jornalismo pela PUC-PR e pós-graduada em Antropologia Cultural pela mesma instituição. Tem passagem pela redação da Gazeta do Povo e atuou em projetos de inovação e educação com clientes como Itaú, Totvs e Sebrae.

Abra sua cabeça para as novas oportunidades!

Cadastra-se e receba diariamente o resumo do que importa com a análise do time StartSe!

Leia o próximo artigo