Sobre Nós
Para Você

NOVO

Para Empresas
Conteúdos
Eventos
Game Changers
Tools
NOVO

Para Você

Avance na carreira e renove seus conhecimentos na mesma velocidade que o mundo muda: na do AGORA

Ver todos

Cursos

Certificações internacionais inovadoras que trazem o que há de mais atual em gestão para um mundo em transformação

Imersões

Imersões executivas presenciais nos mais avançados polos de inovação e empreendedorismo do mundo

Tools

NOVO

As ferramentas de inteligência artificial desenhadas para o seu negócio

Conteúdos

Conteúdo diário sobre inovação, empreendedorismo e os temas mais relevantes do AGORA para que você não perca nada


4 startups que apostam no modelo de assinatura para crescer

Assinar virou tendência. Conheça 4 startups que utilizam o modelo para escalar.

4 startups que apostam no modelo de assinatura para crescer

4-startups-assinatura-para-crescer (Foto: GettyImages).

Por Victor Marques, da CapTable Brasil.

Assinar serviços caiu no gosto do brasileiro. Acostumado com o parcelamento das compras, pagar um valor mensal para consumir um serviço sem limitações ou receber produtos de forma recorrente foi uma transição natural. 

Embora assinaturas não sejam um modelo de negócio novo – lembra dos jornais e revistas impressos? –, a modalidade evoluiu para abraçar um nicho cada vez maior de empresas em busca de garantir recorrência e previsibilidade de receita. O pontapé para as assinaturas virarem tendência nas empresas tech, especialmente em startups, foi a popularidade que Netflix e Spotify ganharam com o modelo. 

Visto como insustentável no início, o modelo se provou um sucesso. A Netflix gastava valores astronômicos para licenciar conteúdos, mas, depois, evoluiu para produções próprias – um custo maior inicial, mas significa que a empresa não precisa pagar uma taxa cada vez que um usuário dá play no conteúdo. O Spotify, mesmo pagando taxas pequenas por play, teve dificuldade em gerar lucros para o negócio, agora, baseado no sucesso da plataforma de podcast integrada ao serviço, encontrou uma maneira de aumentar sua receita – o modelo se provou um sucesso.

Com tantas histórias de sucesso e hype, toda empresa agora busca uma maneira de oferecer seus serviços através de uma assinatura. Conheça 4 negócios que utilizam o modelo

IFOOD

O iFood é um dos players que começou a testar uma modalidade curiosa de assinatura: pães. Usuários do app em algumas regiões do país encontraram a funcionalidade, com opções de entrega semanal de quatro pães - quentinhos - 5x por semana, por R$ 34,90. Há ainda opções mensais com menos entregas semanais.

 

CORRIDA PERFEITA

Em 2019, a Corrida Perfeita passou a oferecer uma plataforma de orientações e serviços de treinamento, disponível por meio de assinatura. Assim nasceu o Clube Corrida Perfeita, uma plataforma virtual de assessoramento do corredor, que conecta praticantes a treinadores reais. O modelo de assinatura foi uma virada de chave para a startup. De 2020 a 2021, a Corrida Perfeita viu seu faturamento crescer 40% – foi de R$1,1 milhão para R$1,5 milhão. Hoje já são mais de 3,4 mil clientes ativos.

QUEIMA DIÁRIA

Oferecendo uma plataforma de exercícios online com mais de 2,1 mil videoaulas, com mais de 90 treinos e aulas ao vivo de segunda a sexta, a Queima Diária é uma startup que oferece conteúdo ilimitado para seus assinantes. Atendendo diferentes perfis de usuários e objetivos, os treinos de 5 a 50 minutos podem ser acompanhados em diferentes dispositivos.

 

GLAMBOX E MEN'S (B4A)

A B4A foi criada após a aquisição da Glambox e da Men's, dois serviços de assinatura com entrega recorrente de produtos que já faziam sucesso no Brasil. Combinados, os serviços já possuem mais de 70 mil assinantes e também oferecem e-commerce para complementar as caixas de produtos entregues periodicamente aos assinantes. No início de 2021, o grupo conquistou um aporte de R$ 10 milhões, demonstrando o interesse dos investidores nos negócios que oferecem modelo de assinatura.

POR QUE IMPORTA?

Com a aprovação dos consumidores, o modelo de assinatura já é oferecido em diversas modalidades e para as mais variadas categorias. Hoje, é possível assinar serviços que vão desde produtos digitais até produtos físicos.

Se tratando de startups, é importante entender que as receitas recorrentes são um dos indicadores mais analisados e com maior peso no momento de um investidor avaliar o seu negócio. Indicadores como a receita mensal recorrente (MRR) e receita anual recorrente (ARR) podem impactar significativamente no valuation (valor de mercado) da startup. Outros KPIs como LTV, CAC e Churn também são impactados positivamente pela maior recorrência dos clientes.

Para os empreendedores de startup faz sentido considerar maneiras de aumentar a recorrência das compras, retenção dos clientes e estabilidade nas receitas - de olho em uma futura rodada de investimentos. Para empreendedores de qualquer tipo de negócio pode ser uma maneira de garantir mais rentabilidade para sua empresa, atravessar períodos de dificuldade econômica ou garantir mais satisfação dos seus clientes.

Quer saber antes sobre startups inovadoras e ter a chance de ser sócio desses negócios com crescimento acelerado? Conheça a CapTable, hub de investimento em startups da StartSe. Para ficar sabendo em primeira mão de novas oportunidades e entrar na Nova Economia em 2022, participe do grupo exclusivo do Telegram para avisos de novas captações! Se você quer captar conosco, saiba mais e se inscreva no nosso processo de seleção.


Assuntos relacionados

Abra sua cabeça para as novas oportunidades!

Cadastra-se e receba diariamente o resumo do que importa com a análise do time StartSe!

Leia o próximo artigo