Aplicativo transcreve voz em texto para auxiliar pessoas com deficiência auditiva

Aplicativo desenvolvido pelo Google facilita a comunicação de surdos, por via escrita, e pessoas com diversos níveis de deficiência auditiva

0
shares

Em 2016, 360 milhões de pessoas sofriam de algum tipo de surdez em todo o mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde. Ainda de acordo com a OMS, esse número pode chegar a 900 milhões de pessoas em 2055.

Mas uma grande empresa está de olho nesses números e está usando a tecnologia para facilitar a vida dessas pessoas: o Google. A empresa está lançando o Live Transcribe, um aplicativo que transcreve rapidamente o que está sendo falado em texto.

Para utilizá-lo, as pessoas precisam apenas ter um smartphone e o aplicativo instalado. A ferramenta, que está em fase de testes, é capaz de transcrever falas em mais de 70 línguas e dialetos.

Além da transcrição, o aplicativo disponibiliza um teclado que permite que as pessoas com deficiência respondam o que está sendo falado. A solução foi validada na Gallaudet University, universidade para pessoas surdas ou com deficiência auditiva.

O Live Transcribe foi um trabalho em conjunto desenvolvido por funcionários do Google de diversos locais do mundo. Dimitri Kanevsky, cientista e pesquisador do Google especializado em reconhecimento de discursos, foi quem inspirou a solução – ele é surdo desde criança e desenvolveu uma tecnologia semelhante, mas que precisava de mais dispositivos além de um smartphone.

Confira a experiência de Dimitri e como a solução é utilizada:

 Tornar o som mais audível

Além do Live Transcribe, o Google está trabalhando no Sound Amplifier – um aplicativo que permite controlar a altura ou isolar sons. A expectativa é que os usuários possam focar apenas nos sons que os interessam, minimizando eventuais barulhos da cidade, entre outros.

O Sound Amplifier (chamado de Amplificador de Som na PlayStore do Brasil) já está disponível para download na loja de aplicativos do Google. Já o Live Transcribe segue em beta e será disponibilizado aos usuários de forma gradual.

Comentários

Mais em Nova Economia