Você moraria em um prédio de contêineres? Ele acredita que sim

Thiago Monteiro, fundador da Haut, contou os planos de criar um prédio formado por contêineres para estimular a mobilidade também nas casas

Você moraria em um prédio de contêineres? Ele acredita que sim

Thiago Monteiro, fundador da Haut, contou os planos de criar um prédio formado por contêineres para estimular a mobilidade também nas casas

0
shares

A Haut está literalmente construindo novos empreendimentos em Recife. Focada no mercado de luxo, a incorporadora está criando prédios com muitos propósitos – e, principalmente, se preparando para o mercado imobiliário do futuro.

Thiago Monteiro, fundador da Haut, esteve no Audaz, evento da StartSe, nesta quinta-feira (6). O arquiteto contou quais as necessidades que acredita que os imóveis deverão ter no futuro, graças às mudanças tecnológicas.

Criada em 2016, a incorporadora já está desenvolvendo prédios focando no impacto que eles terão. “O novo luxo não é o que estamos acostumados. Ele é a construção de experiências, posicionamento, estilo de vida – isso é o que tem valor”, comentou Monteiro.

Por esse motivo, ao construir um empreendimento, a Haut foca não apenas nos prédios, mas também em todos os entornos. “Em um dos prédios, resolvemos transformar os arredores em um parque, para não beneficiar apenas os moradores, mas todos os cidadãos”, explicou o arquiteto.

Mas, apesar das soluções da incorporadora estarem se destacando no mercado, a Haut já está pensando em como será o setor daqui alguns anos. “Ainda estamos na velha economia, não fizemos nada transformador para o mercado imobiliário. Fizemos edifícios que se tornaram objetos de desejo, mas precisamos enxergar a próxima curva”, afirmou Thiago Monteiro.

Dessa forma, a incorporadora passou a estudar os hábitos de consumo dos Millenials e Geração Z. A conclusão é que esses consumidores não irão mais comprar apartamento e carros, e, sim, priorizar o compartilhamento e a possibilidade de mudar facilmente.

Prédios de contêiners

Foi assim que surgiu a ideia de criar a Mob. A empresa é um spin-off da Haut e pretende trazer a mobilidade desejada para os imóveis através de prédios com contêiners. O objetivo é que, independente do lugar do mundo que o morador possa viajar ou se mudar, pode levar sua casa completamente intacta.

O objetivo é que os contêineres funcionem de forma semelhante aos estacionamentos verticais, baseando-se de modo que qualquer andar possa ser movido sem ameaçar os de cima.

Essa iniciativa também resolve outro problema identificado pela Haut: a falta de personalização das casas. “Com o modelo de plug and play, em que plugamos a energia, água, esgoto e ar condicionado no contêiner, consigo transformar a minha casa com os objetos sem passar pelo trauma da mudança, garantindo que continue sendo a extensão da minha personalidade”, descreve.

O prédio também estaria preparado para outras demandas, como barbearia, pub, carro elétrico compartilhado, lavanderia e sala de jogos compartilhadas, spa e até um co-working. “Nós estamos pensando até no táxi-aéreo, em que drones vão levar passageiros. A Uber e a Embraer já estão pensando nisso, por que não podemos estar preparados?”, questiona o arquiteto.

Baixe já o aplicativo da StartSe

App StorePlay Store

Assine nossa newsletter

switch-check
switch-x
Nova Economia
switch-check
switch-x
Empreendedores
switch-check
switch-x
Startups
switch-check
switch-x
Ecossistema
Mais em Startups